logo
Foco
Foco 28/04/2015

Casos de dengue no Estado de São Paulo batem recorde histórico

Exército acompanha fiscalização contra dengue em São Paulo | André Porto/Metro

Exército acompanha fiscalização contra dengue em São Paulo | André Porto/Metro

O número de casos de dengue no Estado de São Paulo bateu o recorde, segundo balanço do Centro de Vigilância Epidemiológica.

De janeiro a 24 de abril, foram confirmados 222.044 casos. A quantidade é a maior já registrada na série histórica do CVE, que começou a contabilizar os casos em 1986 e supera os 209.052 registros feitos entre janeiro e dezembro de 2013, recorde anterior. Em todo o ano passado, 204.236 pessoas contraíram a doença (veja quadro abaixo).

O total de casos é a soma de paulistas que contraíram a doença em municípios de São Paulo e em outros Estados. Para a Secretaria de Estado da Saúde, só devem ser contados os casos contraídos em São Paulo. Nesse caso, o total seria de 212.904. Mesmo assim,  o número de doentes até agora em 2015 supera o de 2013 inteiro.

Além do recorde no número de contaminados, o boletim mostra que em 2015 as mortes causadas pelo vírus também devem ser recorde. Já são ao menos 125 óbitos confirmados nas 645 cidades do Estado, ante 141 em 2010 –ano em que foi registrado o maior número de mortes pela doença–, segundo o Ministério da Saúde.

Outros 90 óbitos ainda estão sendo analisados.

De acordo com o balanço, até o dia 20 de março, 169 cidades estavam imunes à dengue. O total desabou para 31 municípios no último boletim.

Em números totais, Campinas, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Catanduva, todos com mais de 6,4 mil registros de infectados, são os municípios que somam mais doentes.

Na capital, 20.764 casos da doença foram confirmados até o dia 11 de abril.

Para ajudar no combate à dengue na capital, a prefeitura instalou oito tendas provisórias ao lado de UBSs e hospitais, Além disso, 50 soldados do Exército começaram a trabalhar com agentes da prefeitura visitando casas em busca de possíveis criadouros do mosquito.

Segundo o coronel Ricardo Carmona, nos dois primeiros dias da ação (quinta e sexta) 2.368 imóveis foram visitados no Limão, na zona norte. Com a presença dos soldados, o número de pessoas que não  autorizam a entrada dos agentes diminuiu bastante.

“Antes da presença do Exército, para cada 1.000 visitas, havia recusa de 200 moradores. Hoje, menos de 20 para cada mil se recusam”, disse Carmona.

recorde dengue sao paulo arte