logo
Brasil
Brasil 27/04/2015

Delfim Netto destaca nova postura dentro da Petrobras; assista

Delfim Netto participou do Canal Livre deste domingo | Reprodução

Delfim Netto participou do Canal Livre deste domingo | Reprodução

A semana foi marcada pela divulgação tardia do balanço da Petrobras, que aponta a perda de mais de R$ 6 bilhões em função da corrupção. Em entrevista ao Canal Livre deste domingo, o ex-Ministro da Fazenda e atual professor de economia, Delfim Netto, analisou a crise na estatal.

“Era um problema de administração. A Petrobras hoje está entregue a dois administradores de altíssima qualidade, o Aldemir Bendine, que foi presidente do Banco do Brasil, e o Ivan Monteiro, reconhecido como um dos melhores profissionais do mercado brasileiro. Eles conversaram com todas as entidades interessadas e apresentaram o balanço. Começou uma nova vida da Petrobras. A estatal vai ter que se reconstruir do ponto de vista financeiro. Do ponto de vista tecnológico, vai continuar a ser o que sempre foi”, comentou.

Delfim Netto disse não acreditar que a Petrobras vai quebrar com o estoque de petróleo que tem hoje. “Vai ter que reduzir suas pretensões, talvez, a 1/3 do que tinha. Aquela fantasia do pré-sal que ia resolver o problema do Brasil, da Argentina e da Venezuela terminou, aquilo era puro sonho. E vai mostrar para o Brasil como é difícil financiar despesas permanentes de saúde e educação com recursos aleatórios”, afirmou.

O economista também falou sobre o outro número que não aparece no balanço: R$ 60 bilhões, que é o resultado do prejuízo por ter segurado o preço do petróleo.

“Esse foi um erro mortal. É uma tolice a ideia de que controlando o preço do combustível, iria controlar a inflação. Aliás, pior do que isso é controlar o câmbio para controlar a inflação. Todo mundo vai pagar por isso”, completou.

Veja trechos da entrevista com o economista: