logo
Foco
Foco 27/04/2015

Chuva no Cantareira fica 50% abaixo do previsto para o mês

O período de estiagem já dá sinais de que a situação no sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento de cerca de 5 milhões de pessoas na Grande São Paulo, deve continuar no vermelho. Faltando três dias para o final de abril, as chuvas registradas não foram suficientes para o cumprimento da média prevista para o período, 89,8 mm.

De acordo com o boletim divulgado pela Sabesp, o acúmulo de água das chuvas até esta segunda é de 45,1 mm, apenas metade do esperado. É a menor quantidade de chuvas desde 2006 para um mês de abril.

Como a previsão é de uma incidência cada vez menor de chuvas nos próximos meses – o chamado período seco vai até setembro – o governo do Estado corre para tirar do papel um conjunto de obras para garantir o abastecimento da população atendida pelo sistema Cantareira. Além disso, a Sabesp tem antecipado para as 13h a redução da pressão de bairros nas zonas leste e sul da capital. A medida resulta em torneiras secas por até 10 horas, segundo relatos de moradores e de comerciantes. Até março, a medida era adotada entre 18h e 20h, dependendo da região.

Manutenção   

Mesmo com o baixo índice de chuvas, o Cantareira não registra quedas há 85 dias. O nível dos reservatórios se mantém estável há 7 dias, com 20,1% da capacidade, se considerado o volume útil. Levando em conta a medição determinada pela Justiça, ele opera com – 9,2% (descontando as duas cotas do volume morto).