logo
Foco
Foco 24/04/2015

Cinzas de vulcão chileno chegam ao Rio Grande do Sul

Após mais de seis mil moradores terem sido obrigados a abandonar suas casas nas imediações do Calbuco, desde que o vulcão entrou em erupção no Chile, as cinzas expelidas chegaram a algumas cidades do Rio Grande do Sul.

O vulcão, que fica no sul do Chile, desde quarta-feira e duas erupções já foram registradas, mas as autoridades chilenas avisam que uma terceira pode acontecer a qualquer momento. Voos foram cancelados e as cinzas expelidas atingiram também a Argentina, principalmente a região de Bariloche.

Nesta sexta as cinzas avançaram pelo Uruguai e no fim da tarde a nuvem chegou ao extremo sul gaúcho, em umasSituação semelhante a que ocorreu em 2011, quando outro vulcão também região da cordilheira do Andes, no Chile, entrou em erupção.

Em cidades como Chuí, na fronteira com o Uruguai, a mancha já pode ser vista no céu e as devem chegar também Porto Alegre. A Infraero não descarta cancelamentos de voos no Aeroporto Internacional Salgado Filho e orienta que os passageiros entrem em contato com as companhias aéreas.

Segundo o geólogo Wilson Wildner, a chegada das cinzas ao território brasileiro não é um fenômeno incomum. “Muitas vezes é um depósito tão fino que nós nem nos damos conta dessas cinzas’, afirmou.

Já o médico pneumologista Hugo Oliveira alerta que que crianças e pessoas com doenças respiratórias devem evitar o contato com este tipo de poeira, que pode também causar irritação nos olhos.

“As pessoas devem também procurar se manter bem hidratadas evitar exposição ao ambiente aonde existe essa fuligem, além de evitar a viagem para essas locais’, recomendou o médico.