logo
Brasil
Brasil 23/04/2015

Caminhoneiros fecham rodovias; Governo não permitirá bloqueios

Manifestantes colocam fogo em pneus em rodovia do RS  | BandNews FM

Manifestantes colocam fogo em pneus em rodovia do RS | BandNews FM

Frustrados com as negociações sobre a tabela com valores mínimos para o frete e o valor do óleo diesel, caminhoneiros deflagraram na madrugada desta quinta-feira protestos e bloqueios em rodovias de 7 Estados pelo país, de acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Os atos aconteceram em estradas federais e estaduais do Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso, Ceará, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, onde houve até caminhões apedrejados por manifestantes por tentarem desviar dos bloqueios.

A maioria das manifestações, no entanto, se concentrou foras das pistas, desviando os caminhões para os postos de combustíveis – veículos de passeio e ambulâncias tinham tráfego livre.

As decisões da Justiça Federal expedidas durante os bloqueios em fevereiro, a pedido da AGU (Advocacia-Geral da União), continuam válidas. Ou seja, os motoristas flagrados pela PRF podem ser multados em até R$ 50 mil por hora se se recusarem a liberar  a pista.

O governo federal entende que a reivindicação é inconstitucional. “Não há espaço legal para trabalharmos com esse grau de intervenção na economia”, declarou o secretário-geral da Presidência da República, Miguel Rossetto.

Na segunda-feira, o governo sancionou a Lei dos Caminhoneiros, sem vetos. Outras reivindicações feitas na 1ª greve também foram atendidas, como, por exemplo, a isenção de pagamento de pedágio para o eixo suspenso de caminhões vazios e o perdão das multas por excesso de peso expedidas nos últimos 2 anos.

A CNTA (Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos), uma das principais representantes do caminhoneiros, apoia as manifestações e continua em Brasília para manter o diálogo.