logo
Foco
Foco 23/04/2015

Sempre de olho no Universo, telescópio Hubble comemora 25 anos

Um dia histórico para a astronomia. Há exatos 25 anos, em 24 de abril de 1990, a Nasa (Agência Espacial Americana) lançava aos céus o Hubble, primeiro telescópio espacial, levado para longe da atmosfera terrestre pelo ônibus espacial Discovery. Desde então, o Hubble orbita a Terra a 559 km de distância, de onde enviou milhares de imagens de supernovas, de explosões que marcam a morte de uma estrela e de vários outros corpos celestes. Graças a essas imagens, foi possível descobrir, entre outras revelações, que o Universo está em expansão e que a formação de novos planetas, como a Terra, é comum no Espaço. Para todos que apreciam  observar estrelas no céu – sejam astrônomos, casais ou sonhadores -, os 25 anos do Hubble devem ser celebrados como a união bem-sucedida e perfeita entre o belo e a ciência.

O Hubble viu e nos mostrou

1. Pilares da Criação. Aglomerado de poeira e gás com tamanho interestelar na nebulosa de Águia, situado a aproximadamente 7.000 anos-luz* da Terra. 2. Nebulosa Asas de Borboleta. Uma das nebulosas bipolares mais conhecidas, situada a 2.100 anos-luz de distância . 3. Galáxia do Rodamoinho. Primeira galáxia a ser reconhecida como espiral, em 1845, está a 30 milhões de anos-luz da Terra. 4. Saturno. Montagem mostra tempestades no pólo sul do planeta. 5. Formação de uma galáxia. Imagem permite a observação de estrelas existentes há centenas de milhões de anos. 6. Para além do Sol. Hubble fotografou mais de 400 planetas fora do Sistema Solar. 7. Nebulosa da Hélice.  Uma das nebulosas mais próximas da Terra, está a aproximadamente 700 anos-luz de nós. 8. Cuba e o Estado da Flórida (EUA). O telescópio também voltou o olhar para a superfície da Terra. 9. Galáxia do Sombreiro.  Galáxia espiral com núcleo brilhante rodeado por um disco achatado de material escuro localizada a 28 milhões de anos-luz da Terra.

* 1 ano-luz = 10 trilhões de quilômetros

hubble-fotos

Nasa/Divulgação

Fotos originais são em preto e branco

Todas as fotos feitas pelo Hubble são, na verdade, capturadas em preto e branco. Isso é feito para manter o máximo de informações. São registradas várias imagens (em preto e branco). Depois, no pós-processamento, são aplicados filtros coloridos – azul para evidenciar a luz do oxigênio; verde para a luz do hidrogênio; e vermelho para a luz do enxofre. Em seguida, essas três imagens são mescladas no computador para gerar as fotos que são divulgadas pelo site da Nasa. Nem sempre, porém, é assim. Quando  esses elementos não estão presentes, o critério é puramente estético. Vale a cor que ficar mais bonita.

hubblr-pb

[metrogallerymaker id=”661″]

Viagem de aniversário

Este vídeo divulgado pela Nasa fornece uma perspectiva tridimensional da nebulosa Gum 29, com o aglomerado estelar Westerlund 2. O voo, em homenagem ao 25º aniversário do telescópios espacial Hubble, atravessa as estrelas do primeiro plano e se aproxima da borda inferior esquerda da nuvem de gás e poeira.

Passando pelas finas nuvens mais escuras no lado mais próximo, a viagem revela gás brilhante iluminado pela intensa radiação das estrelas recém-formadas do aglomerado.

A Nasa lembra que a visualização se destina a ser uma interpretação cientificamente razoável e que as distâncias dentro do modelo são comprimidas significativamente.

Confira as 25 imagens, escolhidas pela Nasa, que marcaram a história do Hubble

Sucessor, Webb vai ao Espaço em 2018

O Hubble deve se manter em órbita por mais cinco anos, segundo a Nasa. Mas daqui a pouco mais de três anos ele vai receber a ajuda do seu sucessor, o telescópio espacial infravermelho James Webb, previsto para  ser lançado em outubro de 2018 e que será cem vezes mais poderoso. Segundo a Nasa, o Webb será uma verdadeira “máquina do tempo”, capaz de capturar imagens das primeiras estrelas e galáxias se formando… há ‘apenas’ 13,5 bilhões de anos.