logo
Foco
Foco 20/04/2015

Novo naufrágio no Mediterrâneo deixa pelo menos 20 mortos

Sobreviventes de naufrágio são resgatados no litoral da Grécia | Michalis Loizos/Reuters

Sobreviventes de naufrágio são resgatados no litoral da Grécia | Michalis Loizos/Reuters

Pelo menos 20 pessoas morreram nesta segunda-feira no naufrágio de uma embarcação no Mediterrâneo com mais de 300 ocupantes. A informação foi dada por uma das pessoas a bordo, que pediu ajuda a uma organização internacional quando o navio estava afundando.

A OIM (Organização Internacional para as Migrações) disse ter recebido pedido de ajuda de uma embarcação que estava afundando no Mediterrâneo e que transportava mais de 300 pessoas.

O porta-voz da OIM, Joel Millman, informou que o gabinete da organização em Roma recebeu o pedido de uma de três embarcações próximas que se encontravam em águas internacionais.

Soda contou que a organização fez contato com a Guarda Costeira e repassou informações sobre as embarcações. “Mas eles não têm recursos para fazer esses salvamentos no momento”, adiantou.

Segundo a OIM, os guarda-costeiros vão provavelmente tentar redirecionar navios comerciais para o local onde o barco está afundando. A operação não é fácil, já que, segundo a organização, alguns navios comerciais “não querem colaborar”.

Outros naufrágios

O anúncio é feito horas antes da reunião dos ministros do Interior e dos Negócios Estrangeiros da União Europeia para discutir a tragédia no Mediterrâneo nesse domingo, quando mais de 700 migrantes morreram quando o barco em que viajavam com destino à Itália naufragou.

Na semana passada, mais dois naufrágios de embarcações deixaram cerca de 450 mortos, provocando apelos para uma ação imediata.

Pelas tendências atuais, calcula-se que o total de 170 mil migrantes desembarcados no ano passado na Itália seja ultrapassado em 2015.

Corpos chegam a Malta

Ministros das Relações Exteriores da União Europeia se reuniram nesta segunda-feira sob pressão para produzir mais que palavras e evitar a morte de imigrantes desesperados no mar Mediterrâneo, enquanto corpos do naufrágio com mais mortes já registrado surgiram nas praias de Malta.

O saldo de mortos do desastre de domingo na costa da Líbia é incerto, mas deve ser o mais alto dos tempos modernos envolvendo imigrantes que são traficados em embarcações frágeis através do Mediterrâneo.

Autoridades disseram que havia pelo menos 700 pessoas a bordo, algumas supostamente trancadas no porão de carga. A tragédia aconteceu dias depois de outra na qual se acredita terem morrido 400 pessoas.