logo
Brasil
Brasil 18/04/2015

Vice-presidente da Camargo Corrêa admite que pagava propina

Polícia Federal prende funcionários da empreiteira Camargo Corrêa, em SP | Adriano Vizoni/Folhapress

Polícia Federal prende funcionários da empreiteira Camargo Corrêa, em SP | Adriano Vizoni/Folhapress

O vice-presidente da empreiteira Camargo Corrêa, Eduardo Hermelino Leite, admite que pagou mais de R$ 100 milhões em propina no esquema de desvios de dinheiro da Petrobras. A declaração foi dada em depoimento de delação premiada firmada com o Ministério Público Federal.

De acordo com o executivo, pelo menos R$ 60 milhões foram pagos ao ex-diretor de serviços da estatal Renato Duque e pouco mais de R$ 45 milhões para o ex-diretor de abastecimento Paulo Roberto Costa.

Esses valores teriam sido pagos entre os anos de 2007 e 2012. O termo de colaboração foi disponibilizado na última sexta-feira.

De acordo com Eduardo Hermelino Leite, o dinheiro era desviado de obras da Refinaria de Araucária (Repar), no Paraná, da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco e da Refinaria Henrique Lage, em São Paulo.

O vice-presidente da empreiteira Camargo Corrêa foi preso em novembro de 2014 durante a 7ª fase da operação Lava Jato.

Após homologado o acordo de delação com o MPF, ele foi para prisão domiciliar.