logo
Foco
Foco 17/04/2015

Máquinas de caça-níqueis ilegais são apreendidas e São Paulo

Quadrilha comanda esquema de jogos ilegais | Divulgaçõ/Polícia Militar

Quadrilha comanda esquema de jogos ilegais | Divulgaçõ/Polícia Militar

Quatro dias após denúncia feita pela Rádio Bandeirantes de que um investigador facilitava o uso de máquinas de caça-níqueis em bares, a Polícia Civil realizou nesta quinta-feira uma operação para apreendê-las em quatro regiões da zona sul.

Segundo a polícia, a operação aconteceu no Jabaquara, Parque Bristol e Ipiranga e em Heliópolis. Cerca de 30 máquinas de “jogos de azar” foram apreendidas.

Na segunda-feira, um esquema organizado pelo investigador Demétrius de Moraes, do 95º Distrito Policial, foi descoberto pelo repórter Agostinho Teixeira. Sem saber que estava sendo gravado, o oficial falou que faz “vistas grossas” para a instalação das chamadas “maquininhas” em troca de propina.

Durante a operação, 12 equipamentos ilegais foram encontrados nas proximidades da delegacia onde o investigador trabalha, em Heliópolis.

Leia também
• Polícia abre inquérito para investigar máfia dos caça-níqueis em SP
• Policial comanda máfia dos caça-níqueis em São Paulo

A polícia abriu um inquérito para apurar a participação de Moraes no esquema de propina e o possível envolvimento de outros PMs suspeitos de ligação com a máfia. Segundo os donos dos caça-níqueis, só no 95º DP, os policiais arrecadariam 100 mil reais de propina por mês. Moraes foi afastado de suas funções e irá realizar serviços administrativos até o fim da investigação.