logo
Foco
Foco 16/04/2015

Contrato do Rodoanel pode ser cancelado por atraso nas obras

Obras do trecho leste do Rodoanel em Arujá, SP | Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress

Obras do trecho leste do Rodoanel em Arujá, SP | Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress

O contrato de um dos trechos do Rodoanel Norte, obra do governo de São Paulo que pretende desviar o trânsito de caminhões da capital, pode ser cancelado por conta de atraso nas obras.

O trecho estava prometido para junho de 2016, mas foi adiado para junho de 2017. Com a mudança, a obra deve ficar pronta três anos depois da época prevista na licitação.

A Dersa (estatal responsável por administrar o empreendimento) sabe que as obras estão praticamente paradas desde o ano passado. A estatal afirma que já notificou o consórcio dez vezes para que o trabalho seja retomado e que, neste contexto, não descarta a chance de romper contratos.

“Se nós não tivermos uma resposta equivalente, se daqui para diante as coisas não acontecerem conforme o esperado e não tivermos uma mobilização efetiva do canteiro e dos funcionários, há a perspectiva inclusive de rescisão”, afirmou o presidente da Dersa, Laurence Casagrande, ontem ao SPTV.

No início do ano, a Dersa havia negado que as obras estivesse atrasadas.

A empresa afirmava que o ritmo das construções estava normal e que a demora na entrega no projeto era culpa das chuvas e da burocracia necessária para fazer desapropriações.

O consórcio Mendes Júnior/Isolux-Corsán, responsável por um dos lotes da obra, garante que as obras estão em andamento conforme o cronograma. A Isolux-Corsán também está envolvida no atraso das obras da linha 4-Amarela do metrô.

A OAS, que cuida de outro trecho do Rodoanel Norte, também nega o atraso e diz que está cumprindo os prazos.