logo
Brasil
Brasil 15/04/2015

Contra terceirizações, protestos ocorrem em várias cidades do país

| Marcos Bezerra/Futura Press

Manifestantes bloquearam a rodovia Anhanguera, em São Paulo| Marcos Bezerra/Futura Press

A manhã desta quarta-feira foi marcada por uma série de manifestações em todo o país, contra a aprovação do Projeto de Lei 4330, que amplia as terceirizações no Brasil.

Na Grande São Paulo, cerca de 50 pessoas ocuparam o km 230 da Dutra, em Guarulhos. Todas as faixas da via foram bloqueadas próximo ao acesso à Avenida Salim Farah Maluf e à base da polícia da Nova Dutra. Em reflexo ao protesto, o motorista chegou a encarar 10km de congestionamento, do 219km ao 229km.

A rodovia Ayrton Senna também teve tráfego intenso no sentido da capital paulista, mas sem bloqueios. A opção foi acessar a Rodovia Fernão Dias no quilômetro 227.

A via Anhanguera foi liberada no km 19, sentido São Paulo, bem como a via Anchieta.

Os manifestantes que estavam na frente do portão 1 da USP entraram nas dependências da universidade e não interditavam mais nenhuma via nos arredores no final da manhã.

No Rodoanel, a pista foi liberada nos dois sentidos, no km 10. Mesmo assim, o trânsito ainda estava muito congestionado por volta de 11h30, principalmente na direção de Perus.

A Avenida Paulista, por sua vez, foi totalmente bloqueada no sentido Paraíso, altura da Fiesp, no fim da manhã desta quarta-feira. No sentido Consolação, a ocupação se dava apenas no vão livre do MASP.

 

Bahia

Moradores de Salvador enfrentaram problemas no transporte público nesta manhã de quarta-feira. Cerca de 12 mil rodoviários estavam paralisados desde às 4h da madrugada e só voltaram ao serviço a partir das 8h.

Segundo o sindicato, a adesão foi de 100% dos motoristas e cobradores, sendo que sindicalistas bloquearam as saídas de algumas garagens.

 

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, metroviários descumpriram uma decisão judicial que determinava o funcionamento do serviço e não rodaram. Também na capital gaúcha, usuários dos ônibus da Carris – empresa controlada pela prefeitura – enfrentaram dificuldades com a paralisação dos rodoviários apenas desta companhia.

A gestão municipal da capital gaúcha acionou uma operação de emergência e coletivos de outras seis linhas privadas realizaram as viagens.

Uma confusão em frente à garagem da empresa de ônibus Carris deixou duas pessoas feridas. Segundo a Brigada Militar, uma pessoa ameaçou os manifestantes com uma faca. Assista:


Distrito Federal

Os ônibus também não circularam nesta manhã na capital federal.

 

Rio de Janeiro

Trabalhadores do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro realizaram uma paralisação em frente aos portões do Comperj desde às 6h. Cerca de 6 mil funcionários se concentraram no local, em Itaboraí, região metropolitana do Rio.

Ainda sobre os petroleiros, 7 mil funcionários da Refinaria de Duque de Caxias fizeram uma assembleia neste Dia Nacional de Luta contra a terceirização.

Funcionários dos Correios também entraram em greve e deixaram de entregar correspondências nesta quarta-feira.

Minas Gerais

Em Betim, na Fernão Dias, cerca de 70 metalúrgicos seguiram para a Refinaria Gabriel Passos, depois de bloquearem duas avenidas em Contagem.

Os bancários também aderiram ao movimento e as agências vão ficar fechadas até 12h em Belo Horizonte.

Paraná

O Contorno Sul, uma das rodovias mais movimentadas de Curitiba, estava totalmente bloqueado desde às 6h30 na região da empresa New Rolland.

Em frente à Refinaria Presidente Getúlio Vargas, em Araucária, região metropolitana de Curitiba, trabalhadores também se mobilizaram para bloquear a Rodovia do Xisto.

Por volta de 12h, os manifestantes deveriam se reunir no centro de Curitiba para seguirem em passeata marcada para 13h.