logo
Foco
Foco 14/04/2015

Ministro da Fazenda admite retração do PIB neste ano

O ponto mais importante do relatório do FMI segundo Levy é o apoio às medidas de ajuste fiscal postas em prática neste ano | Ueslei Marcelino/Reuters

O ponto mais importante do relatório do FMI segundo Levy é o apoio às medidas de ajuste fiscal postas em prática neste ano | Ueslei Marcelino/Reuters

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, admitiu nesta terça-feira (14) que o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) em 2015 deve encerrar o ano com variação negativa. Ele evitou dar números, mas disse que o ministério incorporou a expectativa de retração do PIB às previsões oficiais.

“Hoje, o mercado tem essa avaliação [de que o PIB vai cair em 2015]. Nos nossos documentos, usamos as informações do mercado. Essa tradição a gente adotou”, disse Levy ao deixar o Ministério da Fazenda.

O ministro também comentou o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), que projetou em 1% a queda do PIB brasileiro este ano. Segundo ele, o ponto mais importante do documento não são projeções para a atividade econômica, mas o apoio às medidas de ajuste fiscal postas em prática neste ano.

“O FMI tem algumas avaliações. Acho que, em particular, chamou atenção a importância de o Brasil concluir o mais rápido possível o programa do ajuste fiscal, até para a gente voltar a crescer. É uma mensagem bastante consistente dessa estratégia da presidente Dilma [ele falou presidente, editor] de acertar as coisas agora e a gente ter base para fazer a retomada do crescimento, inclusive da agricultura”, afirmou Levy, que saiu do prédio acompanhado da ministra da Agricultura, Kátia Abreu.