logo
Brasil
Brasil 13/04/2015

Polícia Federal faz operação contra fraudes no seguro DPVAT

Ao menos 39 pessoas foram presas durante a madrugada desta segunda-feira em uma operação da PF (Polícia Federal) que desmantelou uma organização criminosa suspeita de fraudar pagamentos do DPVAT (seguro obrigatório).

O grupo inclui servidores públicos, policiais civis e militares, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas e agenciadores de seguros.

A PF estima que o rombo aos cofres públicos pode chegar a R$ 28 milhões. A operação Tempo de Despertar expediu 229 mandatos judiciais –41 de prisão– em Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro, Goiás, Espírito Santo e Brasília.

Segundo a Polícia Federal, a quadrilha agia de diversas formas para a obtenção do valor do benefício, tudo em nome de terceiros, que eram envolvidos sem o conhecimento do esquema. A ação incluía falsificação de assinaturas, laudos médicos, periciais e até boletins de ocorrência para o pagamento do seguro em valores expressivos.

De acordo com o delegado Marcelo Freitas, em meio a diversos papeis de seguro fraudados, os investigadores encontraram até documentos que compravam o pagamento do seguro DPVAT para uma pessoa que teria utilizado uma ocorrência de maus tratos domésticos relativos à Lei Maria da Penha.

Os mandados judiciais foram cumpridos em 33 cidades de Minas Gerais, além de outras duas da Bahia no município do Rio de Janeiro.

Os suspeitos poderão responder por formação de quadrilha, falsificação e uso de documentos públicos, estelionato e corrupção ativa e passiva.

A investigação foi conduzida pela Polícia Federal de Montes Claros, cidade do norte de Minas, onde a maioria dos envolvidos foi presa e também onde foram constatados os primeiros casos de fraude.

20150414_BH03_esquema-DPVAT