logo
Brasil
Brasil 12/04/2015

Eduardo Cunha critica o PT e afirma: PMDB não vai aceitar ser constrangido

Segundo Eduardo Cunha, não há motivos que justifiquem a saída da presidente Dilma | Tânia Rêgo/ABr

Eduardo Cunha afirma que o PMDB não irá se intimidar | Tânia Rêgo/ABr

Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, voltou a criticar o PT em uma mensagem divulgada em suas redes sociais.

Após ser hostilizado em um protesto ocorrido na última sexta-feira, dia 10, durante uma audiência pública na Assembleia Legislativa da Paraíba, em João Pessoa, Cunha disse que seu partido não irá se intimidar. “O PT não vai constranger o PMDB pelo país. O PMDB não vai aceitar ser constrangido pelo PT. Esse é o recado que nós estamos dando”, avisou.

Em entrevista à imprensa, o presidente da Câmara acusou o PT de mostrar sua intolerância em todos os lugares. “O PT faz movimentações orquestradas utilizando seu braço sindical que deveria, por exemplo, estar na CPI presidida por nosso presidente paraibano Hugo Motta, onde estava o tesoureiro do PT prestando esclarecimentos sobre a corrupção da Petrobras. Esses movimentos deveriam estar lá contestando e cobrando a apuração da corrupção e não estar tentando impedir o debate da reforma política”, declarou. “Que venham os protestos pacíficos, que venham os debates. Aqueles que pensam diferente de mim têm sempre oportunidade de dizer. O que nós não vamos aceitar é a depredação do patrimônio público”, complementou ele que está viajando pelo país para discutir temas políticos.

No final de março, Cunha foi vaiado durante visitas à Assembleia Legislativa de São Paulo e Rio Grande do Sul.

Durante o ato, os manifestantes do movimento LGBT se beijaram e levantaram cartazes contra a homofobia. O deputado, que é evangélico, é contra a criminalização da homofobia.