logo
Foco
Foco 09/04/2015

Sobe para quatro o número de mortos em tiroteio no tribunal de Milão

| Stefano Rellandini/Reuters

O Palácio da Justiça está no centro histórico de Milão | Stefano Rellandini/Reuters

O tiroteio desta quinta-feira no Palácio de Justiça de Milão, no Norte da Itália, fez quatro mortos e dois feridos, segundo novo balanço.  Três mortos foram vítimas de disparos e um homem foi encontrado morto por razões desconhecidas.

Claudio Giardiello, supostamente acusado num processo por falência fraudulenta, abriu fogo numa sala do terceiro andar do Palácio de Justiça de Milão.

O suspeito fugiu do local numa moto, mas foi preso na cidade de Vimercate, ao norte da capital financeira italiana, disse o ministro do Interior, Angelino Alfano, em sua conta no Twitter. O criminoso estava sendo mantido preso em um quartel militar próximo.

O tribunal fica a cerca de 1 quilômetro da catedral de Duomo, grande atração turística de Milão. Carros da polícia e ambulâncias estavam estacionadas do lado de fora da corte, que estava isolada, e a rua foi fechada.

As medidas de segurança pela Itália foram reforçadas após os ataques ao semanário Charlie Hebdo em Paris em janeiro, e ainda é incerto como o agressor conseguiu passar com a arma pelos detectores de metal do tribunal.

O incidente levanta questões sobre a segurança em locais públicos da cidade a menos de um mês da abertura da Milan Expo, em maio, primeira vez que a cidade recebe a feira de comércio internacional em mais de 100 anos.

“Ouvi uma série de tiros, me joguei no primeiro escritório que encontrei e pensei que teria uma crise de pânico”, disse Massimiliano Monti, funcionário de um escritório de direito dentro do tribunal.

“Venho aqui há mais de 20 anos, é a primeira vez que algo assim aconteceu”, completou.