logo
Foco
Foco 07/04/2015

Novo vídeo indica problema com hélice no acidente que matou filho do Alckmin

Equipe remove destroços da aeronave | Chelo Fotógrafo/Futura Press

Destroços do helicóptero passarão por perícia | Chelo Fotógrafo/Futura Press

A polícia abriu inquérito para apurar as causas do acidente com o helicóptero que matou Thomaz Alckmin, o filho do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e mais quatro pessoas na Grande São Paulo na última quinta-feira (3). Novas imagens, obtidas pela câmera de segurança de uma empresa, mostram o aparelho despencando rapidamente.

Uma das pás do rotor foi encontrada praticamente inteira a mais de 800 metros de distância do local do acidente.  As cenas reforçam as duas hipóteses mais fortes para explicar a queda até agora: a perda de força do rotor de cauda ou a pá da hélice que se soltou. Nas duas, o piloto ficou sem ter o que fazer, segundo os especialistas.

A polícia de Carapicuíba recolheu os vídeos e abriu inquérito, apesar da competência para investigar acidentes aéreos ser da Aeronáutica e da Polícia Federal.

Pelo menos 20 pessoas devem ser ouvidas, entre elas funcionários e mecânicos da Helipark, onde o helicóptero passou por um período de 20 dias em manutenção –  inclusive das pás do rotor principal, que segundo o fabricante foram retiradas para inspeção, mas não foram trocadas.

O voo tinha como objetivo justamente balancear as pás das hélices. O modelo do helicóptero, um Eurocopter EC-155, nunca tinha se acidentado e é considerado um dos mais modernos e seguros do mercado.