logo
Foco
Foco 07/04/2015

Radiação de acidente nuclear de Fukushima chega ao Canadá

Armazenamento de material radioativo em Fukushima | Toru Hanai/Reuters

Armazenamento de material radioativo em Fukushima | Toru Hanai/Reuters

A radiação proveniente do acidente nuclear de Fukushima, ocorrido no Japão em 2011, foi detectada pela primeira vez ao longo do litoral da América do Norte, embora em níveis muito baixos para representar uma ameaça significativa às vidas humana e marinha. Vestígios de Césio-134 e Césio-137 foram detectados em amostras coletadas no último dia 19 de fevereiro no mar na região da Columbia Britânica, no Canadá.

Os níveis de radioatividade detectados, porém, são extremamente baixos. Por exemplo, nadar diariamente nas águas ao redor da Ilha de Vancouver por um ano representaria a exposição a uma radiação mais de mil vezes menor do que a recebida durante uma única radiografia dentária.

O pior desde Chernobyl

Em março de 2011, um terremoto seguido de tsunâmi atingiu a usina nuclear de Fukushima, provocando um triplo derretimento de reatores nucleares e forçando mais de 160 mil moradores a se retirarem da região. O acidente contaminou a água, alimentos e o ar. Foi o pior acidente nuclear do mundo desde Chernobyl, em 1986.