logo
Brasil
Brasil 07/04/2015

Eliseu Padilha vai recusar convite de Dilma para assumir articulação política

Eliseu Padilha | Alexandra Martins/Agência Câmara

Eliseu Padilha negará o convite da presidente | Alexandra Martins/Agência Câmara

O peemedebista Eliseu Padilha, atual ministro da Aviação Civil, vai recusar o convite da presidente Dilma Rousseff (PT) para assumir a articulação política do governo. A afirmação é do líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (RJ).

A decisão de negar o convite teria sido comunicada por Padilha à cúpula do seu partido na noite dessa segunda-feira, durante jantar no Palácio do Jaburu, a residência oficial da vice-presidência da República.

Oficialmente, o argumento usado para a recusa é de que teria sido um pedido da mulher de Padilha, por conta do filho recém-nascido do casal.

Nos bastidores, no entanto, circula a informação de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não concordou com a mudança de Eliseu Padilha do Ministério da Aviação Civil para a Secretaria de Relações Institucionais. Cunha, que vem liderando uma série de derrotas do governo na Casa, se pronunciou sobre o assunto na manhã desta terça-feira.

“Não é um pleito do PMDB o ministério nem que a articulação política do governo só irá funcionar se for um nome do PMDB. Já está mais do que provado que o formato atual não está funcionando”, disse o presidente da Câmara.

Com a negativa de Padilha, deve permanecer no cargo o petista Pepe Vargas.

A troca de ministros teria sido um conselho do ex-presidente Lula. Para reverter as derrotas no governo no Congresso, ele teria sugerido a Dilma Rousseff que convidasse um parlamentar do PMDB para o ocupar o cargo. Eliseu Padilha foi escolhido por ser um antigo integrante do partido e também aliado ao vice-presidente Michel Temer (PMDB).