logo
Foco
Foco 03/04/2015

Segunda caixa-preta confirma que copiloto provocou acidente nos Alpes franceses

| |BEA/Handout via Reuters

A informação foi confirmada na manhã desta sexta-feira pelo BEA, escritório de investigações e análises da aviação civil francesa | BEA/Handout via Reuters

A análise da segunda caixa-preta do avião da Germanwings que caiu nos alpes franceses confirma que o copiloto alemão Andreas Lubitz provocou a queda da aeronave por vontade própria. A informação foi confirmada na manhã desta sexta-feira pelo BEA, escritório de investigações e análises da aviação civil francesa.

“Uma primeira leitura mostra que o piloto presente na cabine utilizou o piloto automático para empreender a descida até uma altitude de 100 pés (30 metros), e depois, várias vezes durante a queda, modificou o piloto automático para aumentar a velocidade do avião durante a descida”, afirmou o BEA em um comunicado oficial.

Isso significa que o copiloto aumentou ainda mais a velocidade do Airbus A320 antes de se chocar contra os alpes. A aeronave foi pulverizada com o impacto e as 150 pessoas a bordo – 144 passageiros e seis tripulantes – tiveram morte instantânea.

O BEA não divulgou, no entanto, elementos adicionais ao que já se sabia sobre o acidente. Mas no comunicado afirma que os trabalhos continuam para estabelcer o “desenvolvimento factual preciso do voo”.

A segunda caixa-preta, que contém os parâmetros do voo, foi localizada nessa quinta-feira pelos investigadores na área de busca da catástrofe. Foi enviada à sede do BEA à noite e as equipes iniciaram as análises dos dados assim que o equipamento chegou.

O Aribus A320 viajava de Barcelona, na Espanha, para a cidade alemã Düsseldorf no dia 24 de março quando, por volta das 11h (horpario local) caiu nos Alpes franceses.