logo
Foco
Foco 01/04/2015

Investigador francês nega que tenha vídeo de avião caindo

Buscas aos destroços do avião da Germanwings entram no quarto dia | Emmanuel Foudrot/Reuters

Buscas aos destroços do avião da Germanwings entram no quarto dia | Emmanuel Foudrot/Reuters

O procurador francês encarregado da investigação criminal sobre a queda do Airbus A320 da Germanwings pediu nesta quarta-feira (1°) para quem tiver vídeos relacionados com o desastre aéreo, que os envie aos investigadores. “Caso alguma pessoa tenha esse vídeo, ela deve entregá-lo sem demora aos investigadores”, disse Brice Robin em comunicado.

O procurador negou que “no estado atual das investigações figure no inquérito um ou mais vídeos sobre a queda do Airbus A320”. A existência de um vídeo com os últimos momentos antes do embate do A320 da Germanwings filmados por um ‘smartphone’ foi mencionada pelos jornais Paris-Match e Bild na noite de terça-feira (31).

Segundo a publicação francesa, que teve acesso às imagens do vídeo, a cena “caótica” não permite reconhecer ninguém, mas é possível ouvir os gritos dos passageiros e as palavras “Meu Deus”, em várias línguas.

Na noite de terça-feira, o tenente-coronel Jean-Marc Menichini, da polícia francesa, disse que essas alegações são “completamente falsas”, em declarações à emissora CNN. Ele disse também que os celulares recolhidos no local do acidente não foram “ainda explorados” pelos investigadores.

Os apareclhos celulares devem ser enviados para análise no Instituto de Investigação Criminal da Polícia Nacional em Rosny-sous-Bois, perto de Paris, disse o tenente-coronel Menichini.

O acidente aéreo ocorrido em 24 de março nos Alpes franceses causou 150 mortes. O copiloto do avião, Andreas Lubitz, é apontado como tendo provocado intencionalmente a queda do aparelho.