Foco

Quatro reservatórios superam média de chuva para o mês em São Paulo

Quatro dos seis sistemas que abastecem a Grande São Paulo receberam, até esta segunda-feira, mais chuva do que a média histórica de março: o Guarapiranga, atualmente o maior produtor de água da região metropolitana, o Cantareira, o Alto Tietê e o Rio Grande.

No sistema Alto Cotia, até esta segunda havia sido registrado 149 mm de chuvas para uma média de 149,1 mm –praticamente um empate.

No Guarapiranga, no Alto Cotia e no Rio Grande, o índice de armazenamento de água já está maior do que o registrado há um ano (veja quadro).

Mas a situação ainda é crítica. O Cantareira, sistema com a maior capacidade de armazenamento de água, só recuperou uma das duas reservas técnicas usadas desde o ano passado para garantir o abastecimento. E a perspectiva é que o primeiro volume morto, como a reserva é conhecida, não seja recuperado neste ano.

Para zerar os dois volumes mortos, o cantareira precisa chegar a 29,2%, o que dificilmente acontecerá nesse ano.

Para tentar diminuir a demanda por água e evitar  um rodízio no abastecimento, a Sabesp vai incentivar seus maiores consumidores a buscarem águas subterrâneas e a pedirem autorização ao Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica) para perfurarem poços com esse fim.

A própria Sabesp vai buscar 200 pontos onde possa colocar poços para usar no abastecimento.

No primeiro bimestre deste ano, o Daee recebeu 82% a mais de pedidos  para abrir poços do que no mesmo período do ano passado. 

Cisternas vão coletar chuva em parques

Parques municipais devem receber a implantação de cisternas para coletar água da chuva. As cisternas devem ser pequenas, médias ou grandes, de acordo com a extensão do parque.

Segundo a  Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, o objetivo é usar a água coletada na limpeza dos banheiros, na lavagem dos pisos e na irrigação dos jardins e áreas verdes.

Ainda não há estimativa de custos nem a definição de um prazo para a implantação dos equipamentos.

Além disso, ainda não foi definida a lista dos parques que receberão as cisternas.  A tendência é que os locais com maior uso de água sejam os primeiros. A cidade tem mais de 90 parques municipais.

aguas-de-marco

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos