Foco

Faixa diagonal no centro de São Paulo põe pedestre para correr

O cruzamento mais famoso da cidade, das avenidas Ipiranga e São João, no centro, recebeu nesta segunda-feira uma faixa de pedestres diagonal. Em formato de X, a sinalização permite que as pessoas atravessem duas etapas de uma só vez, mas o tempo para isso é curto.

O farol fica verde para os pedestres apenas por 10 segundos. Depois disso, são mais 32 segundos no vermelho piscante, ou seja, 42 segundos no total. O tempo é suficiente para fazer a travessia caminhando, mas, com medo de ficar no meio do caminho, a maioria dos pedestres corria até a calçada, como a reportagem do Metro Jornal constatou na tarde desta segunda.

“É muito pouco tempo. Esse vermelho piscando deixa a gente insegura”, disse a vendedora Ligia Souza, 35 anos.

De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), assim que a faixa foi inaugurada, pela manhã desta segunda, a programação do semáforo para pedestres estava fixada em apenas cinco segundos no verde. Porém, ao notar o desconforto de quem caminhava pelas avenidas, uma reprogramação nos sinais do cruzamento adicionou mais cinco segundos.

Uma pesquisa realizada pela CET mostra que o horário de maior movimento de pedestres no cruzamento das avenidas São João e Ipiranga acontece no final da tarde – 4,7 mil pessoas por hora. De manhã, são 2,4 mil por hora.

A CET afirma que o conceito do vermelho piscante foi implantado em 2012. O tempo de verde foi dimensionado para avisar as pessoas que elas podem iniciar a travessia, enquanto o tempo de vermelho piscante está maior, para sinalizar ao pedestre que ela pode seguir.

O projeto da faixa de pedestre diagonal foi inspirado nos modelos utilizados em Tóquio, no Japão. A primeira travessia diagonal do país foi implantada no cruzamento das ruas Riachuelo e Cristovão Colombo, no centro, em dezembro do ano passado.

Captura de Tela 2015-01-26 às 21.37.03

[metrogallerymaker id=»541″]

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos