Foco

Reajustes de energia pressionam índice da inflação em 2014 e 2015

Rufino confirma novo socorro a distribuidoras | José Cruz/Agência Brasil
Rufino confirma novo socorro a distribuidoras | José Cruz/Agência Brasil

Com um aumento de 1,35% em julho, as tarifas de energia já acumulam uma alta de 7,95% em 12 meses, acima da inflação no período, de 6,51%. E a expectativa é que elas avancem mais, pressionando a inflação em 2014 e 2015.

A alta em julho foi influenciada pelo reajuste de  18% nas contas de luz em São Paulo a partir de 04 de julho. A previsão é de que esse aumento seja ainda mais intenso no mês fechado, já que parte do aumento não foi ainda incorporado pela prévia da inflação, divulgada nesta terça-feira.

O custo extra da energia com o uso mais intensivo das térmicas levou o governo a autorizar reajustes mais salgados neste ano para a maioria das distribuidoras. Em 2015, o cenário não deve ser diferente.

O diretor geral da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), Romeu Rufino, confirmou que o governo está negociando um novo empréstimo de R$ 6,5 bilhões para cobrir os gastos extras das distribuidoras com compra de eletricidade no mercado de curto prazo até o final do ano.

Em abril, o governo já havia intermediado a tomada de um empréstimo de R$ 11,2 bilhões para ajudar as distribuidoras. Se confirmado o novo aporte, sobe para R$ 17,7 bilhões o valor do empréstimo para socorrer o setor. Essa conta será repassado às tarifas cobradas dos consumidores a partir de 2015.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos