Foco

Felipão vê vaias como normais e cobra tática

Felipão comandou a seleção brasileira pela primeira vez em São Paulo / Wander Roberto/VIPCOMM
Felipão comandou a seleção brasileira pela primeira vez em São Paulo / Wander Roberto/VIPCOMM

O técnico Luiz Felipe Scolari se satisfez com a vitória por 1 a 0 sobre a Sérvia, nesta sexta-feira, no Morumbi, no último amistoso da Seleção antes da estreia na Copa do Mundo. Nem mesmo algumas vaias que ecoaram nas arquibancadas mudaram a opinião do comandante, que só ficou insatisfeito mesmo – e promete trabalhar nisso nos próximos dias – com a parte tática da sua equipe.

Leia também: 
Em teste de verdade, Brasil vence último jogo antes da Copa

Primeiro sobre as vaias. Para Felipão, tratou-se de uma reação natural das arquibancadas. “Elas (vaias) apareceram em Goiânia também (contra o Panamá) e em outros locais que não jogamos 10, 15 minutos da forma como a gente joga”, disse o técnico. “Não foi um problema para os nossos jogadores, eles sabem que podem ocorrer discordâncias. Mas sei que no final, dos 67 mil (torcedores presentes), 65 mil saíram satisfeitos”, completou.

Ainda de acordo com a Felipão, até pelo fato de a Sérvia atuar de forma parecida com a Croácia, a partida desta sexta-feira “foi um bom cartão de visita para o jogo de abertura da Copa, onde eu tenho certeza que teremos todo o apoio da torcida mais uma vez”.

Parte tática irrita treinador

Felipão também gostou do aspecto físico dos jogadores da Seleção, tanto que garantiu que os seus 23 convocados estão em plena forma para a disputa da Copa. O técnico só ficou – e ainda está – descontente com a parte tática da equipe. “Ainda podemos equilibrar alguma coisa e podemos melhorar bastante a bola parada. Acho que ainda desperdiçamos uma ou outra jogada de bola parada, mesmo tendo bons jogadores pra isso”.

O treinador também falou sobre a possibilidade de alterar o time titular para a estreia na Copa do Mundo contra a Croácia. Um dos cotados para assumir a vaga de titular é Willian, no lugar de Oscar, apagado contra a Sérvia. “Tenho bons jogadores, tenho uma excelente Seleção. Não posso falar de um ou de outro, mas, se eu precisar fazer uma mudança, eu sei que quem entrar pode render até mais do que o que está jogando”.

Veja como foi o jogo: 

[metrogallerymaker id=»107″]

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos