Foco

Mantega diz que governo não segura preços do mercado

Segundo Mantega, não é recomendado que se façam reajustes no preço da gasolina 'correndo atrás do câmbio' | Agência Brasil
Segundo Mantega, não é recomendado que se façam reajustes no preço da gasolina ‘correndo atrás do câmbio’ | Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Guido Mantega participou nesta quarta-feira audiência pública na Câmara. Por mais de cinco horas, ele falou aos deputados sobre o atual cenário econômico, além da compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras.

Represamento de preços

Mantega negou que o governo segure preço de energia, gasolina e outros preços administrados. Segundo ele, todos os anos a gasolina subiu mais que a inflação, numa média de dois reajustes por ano. Sobre os preços administrados, Mantega disse que o governo vem reajustando remédios, loterias e energia, onde o aumento tem chegado a 20%.

Leia também
• Mantega diz que foi contra aquisição da segunda metade de Pasadena
• Governo volta atrás e adia alta de imposto das bebidas frias

“Onde é que está o represamento de preços?”, respondeu, ao ser questionado sobre a entrevista do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, ao jornal “Folha de S. Paulo”, na qual diz que o governo tem segurado preços para evitar pressões inflacionárias.

Reajuste da gasolina 

Segundo Mantega, não é recomendado que se façam reajustes no preço da gasolina “correndo atrás do câmbio”, que influencia que a paridade com o mercado internacional do petróleo seja atingida. “Não falo em aumento de preço, não se deve anunciar aumento, deve-se fazer”, afirmou o ministro, um dia após a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, defender o aumento de combustíveis.

Tarifa de energia

Ele disse que, em 2015, os preços das tarifas vão recuar devido à maior oferta de energia mais barata das concessões de geração que vão vencer. Neste ano, o acionamento das termelétricas elevou os custos do setor e impactou nas tarifas. “Não há falta de energia. Falta água em alguns lugares, mas não energia.”

Petrobras 

Mantega disse ainda que foi contra a compra pela Petrobras da segunda metade da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), mas, segundo ele, a aquisição inicial, em 2006, foi acertada. Ele também afirmou que não pôde fazer nada quanto à segunda parte da compra porque houve uma decisão de cortes internacionais.

Segundo o ministro, os investidores da estatal não devem se deixar influenciar pela volatilidade do mercado. “Aqueles cidadãos que compraram ações da Petrobras compraram um ativo da mais alta valorização. É um ativo que está lastreado em reservas que só aumentaram.”

Melhora gradual do PIB 

Mantega disse que perspectivas para a economia brasileira são de uma melhora gradual nos próximos anos. Segundo ele, a recuperação da economia internacional está sendo mais lenta do que o previsto. “A boa notícia é que podemos dizer que a crise já está sendo superada. Mas é uma transição dolorosa para todos os países envolvidos nisso”, reconheceu. 

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos