Foco

Vietnã encontra manchas de óleo em busca por avião da Malásia

Aviões de resgate vietnamitas avistaram grandes manchas de óleo e uma coluna de fumaça no mar, mas não ficou claro se elas têm relação com o desaparecimento de um Boeing da Malaysia Airlines, afirmou um representante do ministério dos Transportes, neste sábado.

Leia também:

Avião com 239 pessoas caiu no mar, diz Vietnã; empresa nega

O avião, um Boeing 777-200ER, transportava 227 passageiros e 12 tripulantes e desapareceu na costa vietnamita na madrugada deste sábado. A aeronave fazia rota entre Kuala Lumpur e Pequim e acredita-se que tenha caído.

«Aviões de resgate do Vietnã viram duas manchas de óleo e uma coluna de fumaça em uma região a cerca de 250 quilômetros a oeste da ilha de Tho Chu, mas não podemos confirmar se elas são do avião da Malásia», disse Pham Quy Tieu, vice-ministro de Transportes, à Reuters, por telefone.

«Mandemos duas embarcações e alguns barcos militares para esclarecer o que aconteceu. Cada barco tem cerca de 20 pessoas. As manchas de óleo têm cerca de 15 quilômetros. Os barcos estarão lá em cerca de três a quatro horas.»

Não houve relatos de mau tempo e nenhuma indicação sobre por que o avião da Malaysia Airlines desapareceu das telas de radares cerca de uma depois de ter decolado.

Um grande número de aviões e navios de vários países estão vasculhando a região onde o avião fez o último contato, situada à cerca da metade da distância entre a Malásia e a extremidade sul do Vietnã.

 

Parentes de passageiros sofrem com desinformação da Malaysia Airlines

Nervosismo e desinformação abalam familiares de passageiros do Boeing 777-200 da Malaysia Airlines. O voo MH 3700 transportava 239 pessoas, sendo 227 passageiros e 12 tripulantes. Pessoas de 14 nacionalidades embarcaram no Boeing da companhia aérea Malaysia Airlines, que saiu de Kuala Lumpur, na tarde de sexta-feira, e deveria aterrissar em Pequim seis horas mais tarde.

Na aeronave havia 153 chineses, 38 malaios, 12 indonésios, 6 australianos, 4 americanos, 3 franceses, 2 neozelandeses, 2 ucranianos, 2 canadenses, um russo, um holandês, um austríaco, um italiano e um cidadão de Taiwan.

Os familiares dos passageiros reclamam da falta de informação da companhia aérea Malaysia Airlines sobre as circunstâncias do desaparecimento do avião e sobre as novidades das operações de busca.

Para especialista, tráfego aéreo é muito intenso na região

O tráfego aéreo é muito intenso na região onde desapareceu o avião da Malaysia Airlines, que ia de Kuala Lumpur a Pequim. De acordo com a companhia aérea, 239 pessoas estavam a bordo quando a aeronave sumiu dos radares.

Em entrevista à BandNews FM, o especialista em segurança de voo, tenente-coronel Jorge Barros, disse também que o Golfo da Tailândia é conhecido pelo tempo instável, com baixa visibilidade e muitas mudanças de rota.

Normalmente, segundo Barros, quando o avião caiu na água ele envia automaticamente um alerta via satélite.

Ajuda norte-americana

O primeiro-ministro da Malásia afirmou que os Estados Unidos irão ajudar nas buscas pelo avião desaparecido da Malaysia Airlines. O premier Najib Razak afirmou, neste sábado, que equipes de resgate americanas irão se unir à Marinha e à Força Aérea do Vietnã, Malásia, China, Singapura e Filipinas nas operações de busca pelo Boeing 777-200.

O site de rastreamento de voos «flightaware.com» mostrou o avião voando para nordeste sobre a Malásia, depois de ter decolado. A aeronave subiu para uma altitude de 35 mil pés e desapareceu dos registros um minuto depois, enquanto ainda ganhava altitude.

Parente de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines chora no aeroporto de Pequim, na China | Kim Kyung-Hoon/Reuters

Parente de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines chora no aeroporto de Pequim, na China | Kim Kyung-Hoon/Reuters

Vista aérea de mancha de óleo no mar na região onde avião da Malaysia Airlines desapareceu com 239 pessoas à bordo | Trung Hieu/Thanh Nien Newspaper/Reuters

Parente de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines chora e fala ao telefone no aeroporto de Pequim, na China | Kim Kyung-Hoon/Reuters

O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, chega à área onde familiares e amigos de passageiros de avião desaparecido aguardam por informações no aeroporto Internacional de Kuala Lumpur | Samsul Said/Reuters

Familiares de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines chegam ao aeroporto internacional de Kuala Lumpur à procura de informações | Samsul Said/Reuters

Painel de informações da Malaysia Airlines do aeroporto internacional de Kuala Lumpur traz a frase «vamos orar pelo voo MH370», em inglês. Avião desapareceu em pleno voo, duas horas após decolar da Malásia rumo à China | Samsul Said/Reuters

Familiares de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines chegam ao aeroporto internacional de Kuala Lumpur à procura de informações e são cercados por jornalistas | Samsul Said/Reuters

Familiares de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines chegam ao aeroporto internacional de Kuala Lumpur à procura de informações e são cercados por jornalistas | Samsul Said/Reuters

Familiares de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines chegam ao aeroporto internacional de Kuala Lumpur à procura de informações e são cercados por jornalistas | Samsul Said/Reuters

 

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos