Estilo de Vida

Cães e gatos precisam de cuidados especiais nos dias frios; saiba como protegê-los

Assim como os humanos, animais de estimação sofrem com baixas temperaturas e tempo seco

O fim de semana na capital paulista promete ser frio mais uma vez e só nos resta buscar formas para nos manter aquecidos. O mesmo cuidado deve ser tomado com os animais de estimação que, assim como os humanos, sofrem com as baixas temperaturas e o tempo seco. Dessa forma, eles precisam de alguns cuidados especiais nesta época do ano.

Rafael Abreu, veterinário sanitarista e coordenador do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Anhanguera, alerta sobre algumas medidas simples que podem evitar problemas sérios na saúde dos pets.

“Nesta época do ano, os tutores devem oferecer aos cães e gatos um ambiente seco e aquecido. Se os bichos dormem fora de casa, o ideal é que a casinha ou canil tenha cobertura ou telhado que torne o local mais acolhedor, seguro das temperaturas baixas e da chuva. Outra opção que funciona muito bem é forrar as casinhas com cobertores ou caixas de papelão”, explica.

O veterinário ressaltou alguns pontos que ajudam a garantir o bem-estar dos animais. Veja abaixo:

Agasalhar o pet

Para os cães que aceitam vestir roupinhas, os tutores devem investir em peças que tenham tamanho ideal para o bicho, nem muito folgadas, nem muito apertadas, para evitar desconfortos no animal. Alguns cachorros não gostam de roupas, pois certas raças suportam melhor temperaturas mais baixas.

No caso dos gatos, as roupas não são recomendadas. Os gatos costumam ficar estressados com esses acessórios, pois podem dificultar a locomoção dos bichos, causando acidentes, além de impedir que eles se lambam, um comportamento natural de higiene da espécie.

Cuidados com as doenças da época

No inverno, especialmente os cães, estão mais suscetíveis à gripe. Portanto, é recomendado que o tutor vacine o animal o quanto antes. A gripe canina quase nunca oferece risco ao animal, mas é preciso ficar atento. A transmissão pode acontecer no contato com objetos (como comedouros e bebedouros) contaminados, ou ainda por meio de outro animal doente, em parques e áreas de recreação comuns.

Já no caso dos gatos, a rinotraqueíte, como é chamado o complexo respiratório felino, tem sintomas parecidos com os da gripe de humanos: espirros, coriza e falta de apetite. A maioria dos gatos é portadora do vírus, que se manifesta com a chegada dos dias frios.

Para a recuperação, segundo o veterinário, geralmente não é preciso administrar medicamentos para os animais, mas em alguns casos pode evoluir para quadros de pneumonia. Para evitar a doença, os tutores devem evitar que o gato saia para a rua ou tenha contato com outros animais infectados.

Passeios

O especialista recomenda que os tutores tenham especial atenção à hora do passeio dos pets. “Se o seu pet faz as necessidades na rua, tente levar ele para passear em horários em que a temperatura esteja mais elevada, evitando problemas de saúde relacionados ao frio”, completa.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos