logo
/ Foto: Reprodução / Foto: Reprodução
Estilo de Vida 22/07/2021

O que é a varíola dos macacos que está deixando autoridades em pânico nos EUA?

Por : Metro World News

Um homem do Texas infectado com a ‘varíola dos macacos’ é o responsável por trazer a doença da Nigéria para os Estados Unidos, no início do mês.

Agora, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do país teme que os passageiros dos dois voos que o texano pegou para voltar para casa tenham sido contaminados e espalhem a doença em todo o território americano.

Por isso, pelo menos 200 pessoas em 27 estados estão sendo rastreadas pelo órgão para tentar prever uma infecção descontrolada pelo país que acabe competindo com a covid-19. O texano, o paciente zero, está internado em condições estáveis, disseram as autoridades.

Mas afinal de contas, o que é essa “varíola do maçado” e qual o risco que ela traz?

De acordo com o CDC, essa varíola é uma doença tropical rara, com um vírus da mesma família da varíola comum, mas que causa uma infecção mais branda.

O nome veio do primeiro surto registrado, que ocorreu em colônias de macacos que estavam sendo pesquisados, em 1958.

LEIA TAMBÉM:

Apesar de ter sido registrada há mais de 50 anos, cientistas ainda não sabem exatamente onde o vírus se esconde na natureza.

Foto: Reuters

Os primeiros sintomas são semelhantes aos da gripe, acompanhados de inchaços nos gânglios linfáticos e erupções cutâneas em todo o corpo, podendo evoluir para morte em uma a cada 100 pessoas saudáveis. Em pessoas com comorbidades, essa taxa cresce assustadoramente, de acordo com dados do Centro de Controle dos EUA.

Assim como o coronavírus, acredita-se que a varíola dos maçados possa ser transmitida entre humanos por meio de gotículas respiratórias, mas acredita-se que a infecção possa ser propagada também por mordida ou arranhão de animal contaminado, pela ingestão de carne de animais selvagem ou pelo contato com animais e produtos infectados.

Outro traço preocupante da doença, de acordo com o CDC, é que o contato com fluídos corporais, feridas ou objetos contaminados também podem infectar pessoas saudáveis, o que daria ao vírus uma capacidade de expansão semelhante ou superior à covid-19.

Até o momento não há tratamento seguro e comprovado, embora a vacina da varíola comum já tenha sido usada para controlar surtos ocorridos no início dos anos 2000.