logo
/ Freepik
Estilo de Vida 30/04/2021

Seu filho acorda de mau humor? Saiba como ajudá-lo

Pensar em novas formas de acordar a criança pode fazer com que ela acorde mais disposta

Por : Verônica Fraidenraich ≠ Canguru News

Mal o dia começa e seu filho ou filha já está com a cara fechada de quem não quer conversa alguma? De fato, algumas crianças acordam de mau humor e muitos pais ficam sem saber o que fazer para mudar esse comportamento. Especialistas explicam que é preciso investigar as possíveis causas que levem à falta de disposição dos pequenos logo cedo.

A psicóloga Bruna Richter, do Rio de Janeiro, diz que é importante lembrar que a criança não é uma extensão dos pais mas sim um sujeito com seus gostos e individualidades que devem ser respeitados. “O adulto tem a vida mais acelerada, muitos compromissos a fazer no dia, e a criança tem o tempo dela. Se a gente acorda o filho nesse ritmo que é nosso – e não dele – pode ser que isso o deixe mais mau humorado”, diz Bruna.

A psicóloga também ressalta que, assim como no casal, um pode ser mais lento e outro mais acelerado, e ambos têm que se respeitar, o mesmo vale para a criança. “É preciso entender de que maneira ela consegue se movimentar para respeitar o seu tempo, esse fator pode fazer toda a diferença”, afirma.

Inicialmente, é válido investigar se causas físicas como sono e fome estão interferindo na disposição da criança logo cedo. Noites mal dormidas ou poucas horas de descanso tiram o bom humor de qualquer pessoa, inclusive dos pequenos. “Se a criança acorda com sono porque dormiu tarde ou levantou várias vezes durante a madrugada e não dormiu bem, ou ainda se foi dormir em um clima ruim, porque brigou com alguém ou está triste por algum motivo, pode acordar de mau humor no dia seguinte”, relata a psicóloga Karin Kenzler, de São Paulo.

Ela orienta os pais a conversarem com a criança antes de dormir, caso ela esteja com algum problema pontual, para que não durma preocupada. No caso de fome, Karin propõe que os pais testem se um copo de leite logo ao acordar favorece o bom humor. A seguir, as duas psicólogas listam outros fatores que podem interferir no humor ao acordar. Confira.

Como ajudar a criança a deixar o mau humor na cama ao acordar :

1. Rotina

Pela facilidade e correria do dia a dia, tendemos a encaixar a criança na nossa rotina. O ideal, no entanto, é que os pequenos tenham seus próprios horários de forma a garantir uma boa noite de sono, respeitando o número de horas necessárias para que se recuperem a depender da idade. “A criança passa por muitos processos enquanto dorme, do desenvolvimento dos órgãos, o cérebro entre eles, e do próprio corpo, e isso demanda muito mais energia e descanso para que se desenvolva integralmente”, explica Bruna.

2. Individualidade da criança

Enquanto algumas pessoas acordam bem humoradas e dispostas, outras levantam lentamente e têm de apagar o despertador várias vezes até conseguir sair da cama. Portanto, entender as características do filho é fundamental. “Se preciso, vale deixar a criança sozinha no canto dela e aguardar alguns minutos até que esteja mais animada”, orienta Bruna.

3. Sentimentos

Acolher o filho, dizer que o entende e que o mau humor pode ser normal, é uma forma de mostrar a ele que outras pessoas enfrentam o mesmo problema. Vale até dar exemplos de familiares que também acordavam assim, encorajando a criança para que fale o que sente e assim validar suas emoções. “Os pais podem mostrar à criança que é comum sentir-se cansada e desmotivada algumas vezes e será preciso aprender a lidar com isso. Dar exemplos próprios ajuda nessa compreensão. Ela poderá se espelhar na mãe se percebe que ela tampouco acorda feliz da vida todos os dias, mas ainda assim não deixa que isso atrapalhe a sua rotina. “É importante pensar em que legado queremos deixar a nossos filhos”, destaca Karin. Só não vale, segundo a psicóloga, usar o mau humor como argumento para ficar o dia todo emburrado. “A vida não é um mar de rosas e é preciso preparar a criança desde pequena a lidar com frustrações”, pontua.

4. Brincadeiras

Karen diz que pensar em algo lúdico ou que provoque risadas na criança pode surtir um bom efeito. Desafiar o filho para ver quem se veste mais rápido, por exemplo, ou lembrar de coisas boas que vão ocorrer ao longo do dia. “Mesmo na pandemia, há coisas boas acontecendo, como assistir ao desenho predileto, o doce que será servido de lanche, alguma brincadeira que a criança gosta de lembrar. Só não adianta falar de planos distantes, pois a criança tende a ser mais imediatista e não consegue pensar a médio e longo prazo”, comenta.

5. Novas estratégias

Tentar acordar o filho de maneiras diferentes das habituais pode funcionar, lembrando que, no geral, a criança responde bem às novidades. Por exemplo, se todos os dias os pais acendem a luz do quarto, abrem a porta e fazem barulho para acordar o filho e ele se mostra incomodado, talvez valha chamar a criança e sair do quarto, dando um tempo para voltar a chamá-la novamente. “Talvez, essa prática demande mais esforço e tempo dos pais, mas tenha um impacto positivo”, sugere Bruna. Outra opção que a psicóloga dá é ao invés de só chamar o filho, já convidá-lo para fazer algo, como ajudar no preparo do café da manhã, o que serve como um estímulo maior para que ele levante. “Talvez seja essa a chave, não o ato de acordar, mas como isso está acontecendo”, diz.


Leia também: Em vídeo, educadora explica como ajudar a criança a lidar com as frustrações