logo

Pode usar ácido? Quais? E sobre o protetor solar? E sobre a Vitamina C? Como evitar o melasma? São muitas dúvidas nesse período. Trazemos algumas respostas. Confira!

A gravidez é um período de mudanças drásticas no corpo da mulher. Até aí, nenhuma novidade. Mas, para além das preocupações com a saúde e o bem-estar do bebês, as mães, principalmente aquelas de primeira viagem, que estão gestando seus filhos têm muitas dúvidas sobre o que pode e o que não pode usar na pele e sobre o surgimento de melasmas na pele do rosto.

O melasma pode surgir na face ou no colo, tendo uma relação com o sol ou com alterações hormonais próprias desse período. Por isso, é comum que esse tipo de mancha apareça no período gestacional, onde há uma elevação dos níveis de estrógeno, progesterona e hormônio MSH. Essas substâncias favorecem a hiperpigmentação da pele. A exposição solar e a predisposição genética podem potencializar ainda mais o surgimento do melasma. Por esse motivo, a recomendação é que as grávidas usem filtro solar: “Por causa das alterações hormonais desse período, algumas gestantes podem desenvolver o melasma. O principal cuidado é usar protetor solar diariamente para prevenir o aparecimento de manchas”, explica a médica dermatologista Danglades Eid, em entrevista à Metrópoles.

Leia mais sobre beleza e cuidados pessoais:

Outro fator que preocupa as mamães é o surgimento de espinhas, que ocorre justamente pela alteração hormonal comum da gravidez. Muitas vezes, as mães estão tomando remédios que podem agravar a acne e, para piorar, a maioria dos produtos anti-acne não podem ser usados. “Limpeza de pele e máscaras faciais também são permitidas dependendo de seus ativos. As com vitamina C são ótimas para clareamento e como antioxidantes e no caso de acne optamos pelas secativas”, explica a médica dermatologista Márcia Linhares, em entrevista à revista Glamour.

Por esses e outros motivos o cuidado precisa ser mais atento com a pele no período gestacional, isso porque muitos procedimentos podem prejudicar o bebê. Inclusive, alguns cremes e dermocosméticos, quando aplicados na pele, podem ser absorvidos, circular na corrente sanguínea da mamãe e chegarem ao bebê. Alguns ativos são prejudiciais e outros não. Nós compilamos as informações e apresentamos para você aqui.

Lembre-se sempre de consultar seu médico dermatologista para toda e qualquer decisão sobre o que usar. Este artigo não substitui a opinião de um médico.

Hidratação

Como principal benefício, a hidratação da pele evita o aparecimento de estrias. Produtos que podem ser usados para potencializar a hidratação são: água termal, manteiga de karité, Glicerina, óleo de amêndoas, óleos minerais e ácido hialurônico. Esses ativos hidratam e fortalecem a barreira da pele. Além disso, o ácido hialurônico ajuda na produção de colágeno.

 “Gestante não pode usar muitas coisas e tem que tomar cuidado na verdade. Uma das coisas mais legais para colocar na rotina de beleza da gestante é um hidratante bem potente, óleo de banho daqueles à base de amêndoa e semente de uva, para não ter estrias. Hoje têm os prontos e manipulados que a gente pode fazer para hidratar, tanto no banho como fora, pois quanto mais hidratada essa pele, mais ela tem elasticidade para evitar a estria, principalmente na região do seio, abdômen, glúteo e pernas que esticam bastante”, explica a médica dermatologista Giovana Moraes, em entrevista a Steal The Look.

Não use hidratantes com ureia na composição porque trata-se de uma substância com alto poder de absorção. “Um dos principais cuidados é o uso de hidratantes indicados especificamente para a pele da grávida, que, geralmente, contêm óleos e outros ativos naturais”, afirmou a dermatologista Juliana Jordão, em entrevista ao blog do Dermaclub.

Proteção solar

Durante a gravidez, a pele da mulher está mais sensível à melanina por conta da revolução hormonal que o organismo está passando e, por isso, é normal que algumas parte do corpo se tornem mais escuras que outras. Mas, quando essas manchas estão no rosto, elas incomodam bastante. Por isso, a proteção solar é essencial para minimizar o surgimento dessas manchas, já que previne o fotoenvelhecimento, o surgimento de manchas como o melasma e o ressecamento da pele. 

“Todos os protetores solares que existem não têm nenhuma contra indicação e deve-se usar ainda mais por precaução, pois a chance de desenvolver melasma durante a gestação é alta pela alteração hormonal”, explica a dermatologista Giovana Moraes.

Uso de ácidos

A gestante não pode usar Ácido Salicílico e Ácido Retinóico, pois a pele fica mais sensível a qualquer estímulo que possa irritá-la, e a resposta natural do organismo é aumenta e a dilatação dos vasos, causando mais sensibilidade. “Tem o ácido azelaico, acido kójico, ácido fítico, todos esses podem ser usados em uma formulação de clareador. Não pode ácido retinóico de jeito algum! Então tem que tomar cuidado com o que está usando, porque é comum encontrar nesses cremes rejuvenescedores para usar à noite prontos, que alguns ácidos que não são mencionados na fórmula. Por exemplo, essas composições que têm na Clarins ou da Clinique, eles têm uma composição às vezes dentro que eles não falam a porcentagem, até porque não é fórmula aberta para farmácia de manipulação não copiar. Tem que tomar cuidado e preferir produtos que não contêm ácido retinóico e nem salicílico, porque são os mais perigosos na gestação. O legal é você ir na dermatologista quando você engravidou ou pré-engravidar para realmente selecionar, explica a dermatologista Giovana Moraes.

Vitamina C

Na gestação, dermocosméticos com Vitamina C podem ser usados, pois têm ação antioxidante e agir como um clareador da pele e uniformizante do tom. “Uma das coisas bacanas para evitar as manchas é manipular um ácido permitido na gestação em uma fórmula bacana, a vitamina C e muito filtro solar”, disse Giovana Moraes.