O fim do ano e a saúde mental: como gerenciar os pensamentos para um futuro mais feliz

Acreditar que o ano de 2021 será melhor é uma estratégia para manter nossa mente equilibrada, diz a psicóloga Camila Cury

Por Canguru News

 

Com a chegada das festas de fim de ano é comum fazermos uma retrospectiva de tudo que passou, relembrando alguns aprendizados e preocupações. E neste ano, por conta da pandemia, a pressão e angústia com a aproximação do período das festas poderá ser ainda maior. Principalmente, se levarmos em conta que algumas pessoas passaram por perdas definitivas, como a de um familiar, ou até mesmo sentir falta de encontrar os amigos. Nesse contexto, especialistas ressaltam a importância de cuidar da saúde mental.

"Independentemente da condição que a pandemia nos colocou, é preciso entender que a vida é feita de altos e baixos. Essa não é a primeira tempestade pela qual passamos e nem será a última. Neste momento, compreendermos o “baixo” que ocorre em escala planetária, enquanto situação circunstancial, pode nos ajudar a sofrer menos e a ter mais chances de nos reerguermos perante a roda-gigante da vida", afirma a psicóloga Camila Cury, fundadora e presidente da Escola da Inteligência, programa de educação socioemocional criado há 10 anos, com foco em estudantes e na formação de professores e familiares.

LEIA TAMBÉM: Viajar em segurança – um relato pessoal sobre os protocolos de um resort

Ela explica que desenvolver habilidades como a resiliência é fundamental neste momento para suportar as frustrações e mesmo evitar danos à saúde como depressão, síndrome do pânico e ansiedade, acentuados durante o distanciamento social, segundo os últimos dados.

Além desse cenário, o excesso de informações, de preocupações, autocobrança, dentre outras armadilhas da mente intensificadas nessa pandemia, fez com que surgissem outras questões.

"É importante não nos desesperarmos diante das intempéries da vida, ao contrário: aprender a gerenciar pensamentos é essencial. Realizar higiene mental diária, filtrar os estímulos estressantes e saber transformar o caos em oportunidade criativa, faz com que a dor tenha a finalidade de nos construir, ressalta Camila. Ela lembra que às vezes estamos tão focados no passado, ou tão preocupados com o futuro, que gastamos nossa energia de forma inútil e nos esquecemos de viver o presente. A seguir, a psicóloga dá duas dicas para este momento.

Dicas para cuidar da saúde mental

  1. Contemplar o belo. Perceber a beleza das pequenas coisas do dia a dia, como o sorriso de quem se ama ou a árvore florida na frente de casa.
  2. Aprender a agradecer. A sensação de gratidão libera dopamina e serotonina no cérebro, gerando prazer, energia e motivação.

LEIA TAMBÉM: Impor limites ‘goela’ abaixo pode prejudicar a capacidade da criança regular a si mesma

De acordo com a especialista, a maneira com que lidamos com nossos pensamentos e com nossas emoções fará toda diferença em como nossas vidas serão conduzidas ao longo da história.

"O ano está acabando, mas ainda temos muito para extrair de aprendizado. Por meio do autodiálogo e da autocrítica constante podemos trabalhar o nosso melhor a fim de, igualmente, oferecer o nosso melhor para quem amamos", diz Camila.

Como psicóloga especialista em comportamento humano, ela avalia que foi preciso ser forte para chegar até aqui. "Todas essas experiências ficarão registradas de maneira privilegiada na nossa memória e serão carregadas por gerações. Aos poucos, o gosto amargo do medo será substituído pela leveza dos dias, com mais encontros presenciais – sim, eles voltarão! – mas com a certeza de que jamais podemos descuidar da nossa saúde mental, das nossas emoções, da família, das crianças, dos idosos e de todas as pessoas com as quais nos relacionamos. Esse é nosso maior patrimônio", conclui Camila.

LEIA TAMBÉM: Uma nova escola em 2021, com novas metodologias

 

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a nossa newsletter. É grátis!

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo