'Peitolé': o picolé de leite materno realmente é indicado para bebês?

Há especialistas que indicam o "peitolé" e outros que acham que não faz sentido congelar o leite materno

Por Heloísa Scognamiglio - Canguru News

Você sabe o que é "peitolé"? É o leite materno congelado, dado para os bebês como se fosse um picolé. Tendência nas redes sociais, o alimento serve para amenizar o desconforto do nascimento dos primeiros dentes e para refrescar os pequenos no calor. Mas ele não é uma unanimidade. Há mães que adoram e outras que não gostam. Alguns especialistas indicam e outros não vêem sentido no "peitolé". 

O "peitolé" é preparado colocando o leite materno em forminhas de picolé caseiras e levando ao congelador. Segundo Thais Bustamante, médica pediatra e neonatologista, ele pode ser indicado para bebês com mais de 6 meses, desde que sejam seguidos uma série de cuidados e recomendações, principalmente para evitar o risco de contaminação. Os cuidados para a coleta e o armazenamento do leite devem ser os mesmos que se teria para realizar uma doação. 

Leia também – 4 livros digitais sobre marcos motores nos bebês e sua relação com doenças raras

“A ordenha do leite materno deve ser realizada corretamente e o leite deve ser acondicionado no freezer em recipientes higienizados, de preferência forminhas que possam ficar tampadas, por no máximo 15 dias”, recomenda Thais. “O bebê deve estar sob supervisão de um adulto e o leite materno deve ser o da própria mãe do bebê. O ‘peitolé’ não deve servir como mamada”, explica. A ordenha deve ser realizada em ambiente limpo e a mãe deve prender os cabelos, usar máscara ou lenço para cobrir a boca e higienizar as mãos e punhos. Também é preciso esterilizar utensílios e desprezar o primeiro jato de leite. 

A médica da família e pediatra Milen Mercaldo, do Hospital Anchieta de Brasília, no entanto, não vê sentido em congelar o leite materno, já que há outras formas menos arriscadas de amenizar o calor dos bebês e as dores nas gengivas: além do risco de contaminação, o resfriamento da garganta pode trazer riscos de infecções virais.

Leia também – Mensalidade escolar pode subir até 10% caso novo imposto seja aprovado pelo governo

“Massageadores de gengiva são uma boa opção para aliviar o desconforto da dentição, ou então mordedores resfriados, pois assim o bebê não engole o gelado”, diz Milen. “O indicado no calor, para refrescar os bebês, é colocar roupas leves e frescas de algodão ou deixá-lo apenas de fraldinha durante o dia, dar banhos rápidos apenas com água morna e oferecer mais vezes o seio materno”, acrescenta. 

Para a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), é imprescindível que o picolé de leite materno siga os cuidados de higiene na extração e armazenamento e, uma vez que os critérios de segurança sejam levados em consideração, é necessário discutir a opção com o pediatra para uma orientação adequada em cada caso – ou seja, é preciso uma liberação do médico. 

Leia também – Pediatras alertam para mudanças de comportamento nas crianças durante a pandemia

A entidade ainda reforça que o leite materno é o melhor alimento do bebê, que sai do peito na temperatura certa e alimenta, nutre e hidrata o pequeno. Nos primeiros 6 meses de vida, a alimentação do bebê deve ser exclusivamente de leite materno. A recomendação para mães que podem é que a amamentação continue acontecendo, junto com outros alimentos, até os 2 anos ou mais. 

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a newsletter da Canguru News. É grátis! 

Loading...
Revisa el siguiente artículo