Violência infantil na quarentena: UNICEF orienta como proteger crianças e adolescentes

Por conta do isolamento social, entidade diz que meninas e meninos correm o risco de estarem mais expostos a violências em casa

Por Heloísa Scognamiglio - Canguru News

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) preparou orientações sobre como proteger crianças e adolescentes da violência nesta situação de isolamento social devido à pandemia de coronavírus. A entidade alerta que "é urgente" combater a violência infantil na quarentena. 

De acordo com Rosana Vega, chefe de Proteção à Criança do UNICEF no Brasil, ficar em casa é importante para conter a propagação do vírus, mas também é preciso ficar atento para evitar que crianças e adolescentes sofram agressões e outros atos de violência. "É fundamental, nesse período, apoiar pais, mães e responsáveis para que consigam lidar com o estresse e acolher seus filhos, criando um ambiente de afeto e segurança em casa. Ao mesmo tempo, é importante que toda a população esteja atenta, conheça os canais de denúncia e não se cale diante da violência", comenta.

O UNICEF aponta que o isolamento social pode deixar meninas e meninos mais expostos, principalmente, a situações de violência (física, sexual ou psicológica) em casa. No mundo todo, três em cada quatro crianças que têm de 2 a 4 anos sofrem regularmente com disciplina violenta no próprio lar. Por isso, a entidade divulgou como a população deve agir para combater a violência infantil na quarentena. Veja as orientações do UNICEF: 

Leia também –  Gestantes com (ou sem) sintomas do coronavírus: Febrasgo orienta quanto aos cuidados com o parto e pós-parto 

  • O lar precisa ser seguro para crianças e adolescentes. Por isso, quem mora com eles precisa sempre priorizar manter o ambiente cheio de paciência e amor. 
  • Não se pode deixar de lado seu emocional. Cuide da saúde mental mantendo uma rotina organizada, praticando atividades físicas, relaxando ao fazer o que gosta e se mantendo informado – mas sem ficar preso nas notícias a cada segundo, pois isso pode levar à ansiedade. Ao se cuidar, você evita descontar estresse em crianças e adolescentes. 
  • Se sentir que precisa de ajuda, procure ajuda: você pode contatar o Centro de Valorização da Vida (CVV), ligando 188 ou clicando aqui. Se for responsável por crianças e precisar ir ao hospital, busque pessoas de confiança ou procure o Conselho Tutelar da sua região para ter apoio dos órgãos de proteção à criança.
  • Todos têm o dever de proteger as crianças e os adolescentes. Por isso, todos devem saber como agir para denunciar situações de violência infantil. A entidade ressalta que não se pode usar a pandemia para relativizar casos de violência, que não devem ser tolerados sob nenhuma circunstância. 
  • Se você for vítima ou se testemunhar, souber ou suspeitar de alguma violência, pode acionar o Conselho Tutelar, ligar para o Disque 100 ou até procurar a polícia. Todos devem conhecer e divulgar esses canais. 

O UNICEF aponta ainda que, para combater a violência infantil na quarentena, os governos devem garantir a continuidade dos serviços de proteção à criança e ao adolescente. A entidade pede que os governos garantam que denúncias possam ser feitas com rapidez, Conselhos Tutelares consigam trabalhar e que processos judiciais relacionados a crianças e adolescentes não sejam interrompidos. 

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui para assinar a newsletter da Canguru News. É grátis!

Loading...
Revisa el siguiente artículo