Estilo de Vida

Comida de rua em Bangkok sem frescura

Esqueça aquela ideia arrumadinha e gourmetizada dos atuais food trucks que dominam as metrópoles brasileiras. Quando o assunto é comida de rua, Bangkok, a capital da Tailândia, mostra que improvisação e um tempero desafiador são os suficientes para atender ao gosto do freguês.

Alguns segundos de caminhada pela Khao San, a rua mais agitada do país asiático, revelam dezenas de pequenas barracas com temperos e ingredientes à mostra, aguardando um novo pedido para serem misturados na mesma panela a postos no fogo durante toda a noite. É comum se deparar com galinhas e patos inteiros pendurados em ganchos num processo curioso de cozimento. Os frutos do mar também são abundantes, encontrados frescos em tábuas sem refrigeração para serem assados em grelhas.

Mas o prato mais pedido é sem dúvida o pad thai, um macarrão feito com arroz que leva broto de feijão, repolho, amendoim, alguma carne, que varia entre camarão, frango, carne e porco, tofu e um molho a base de peixe e tamarindo. É comum se deparar com turistas equilibrando-se pela cidade com um desses em mãos ou tentando se acomodar em muros e bancos improvisados.

O cheiro dessa mistura toda é perturbador e o gosto é quase inédito para quem está acostumado com os sabores ocidentais. É preciso cuidado com os currys. Nos pratos tailandeses, eles aparecem com gosto bastante apimentado, com destaque para o curry verde.

Os preços são ainda mais atrativos que os pratos em Bangkok. O pad thai, por exemplo, é encontrado entre 30 e 60 bahts, a moeda local. Em reais, são aproximadamente R$3 e R$6. Por R$ 10 se come muito bem no país.

Mas atenção ao aviso amigo: abusar da comida de rua, pimenta e novos sabores tailandeses pode render desconfortos no sistema digestivo. Se delicie, mas respeite os limites.

Insetos: sim, eu comi!
Insetos podem ser nojentos, mas ficam deliciosos fritos e temperados com sal e pimenta. Tenho que admitir que não me meti a devorar baratas e escorpiões, espécies aparentemente mais desafiadoras e que fazem a alegria dos turistas na Tailândia.

Depois de alguns dias pelo país, resolvi que era minha hora de devorar essa iguaria famosa do outro lado do mundo.

Diante da barraquinha farta de espécies, minha opção foram larvinhas e um grilo, insetos realmente consumidos pela população local. Depois de devorar a porção inteira, aos olhares incrédulos de um marido nada corajoso, a conclusão veio bastante espontânea. Eles têm gosto de camarão! Deve ser por isso que o fruto do mar é conhecido também como a barata dos oceanos.

Veja o que fazer (e provar) por lá:

 

 

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos