Estilo de Vida

Uma viagem pelas geleiras milenares do outro lado do Chile

patagonia-onde-ficaBalmaceda, Coihaique, Chacabuco, Aisén, Cerro Castillo, Río Tranquilo. Nomes pouco conhecidos de cidades e pequenos portos que se estendem ao longo da carretera Austral chilena. Ao lado de rios sinuosos, por entre montanhas nevadas e intermináveis pastos de ovelha, a estrada corta um cenário ainda pouco explorado pelos brasileiros. No norte da Patagônia, é a natureza que dita o ritmo. As distâncias não são medidas em quilômetros, mas em horas de viagem. Cabe ao visitante desacelerar e entrar no clima.

E são muitas as opções, com passeios com duração de poucas horas ou até um dia inteiro. Entre elas, está a visita ao Parque Nacional Laguna San Rafael, com seu impressionante paredão de gelo com mais de 20 mil anos de idade e altura equivalente a um edifício de 30 andares.

O roteiro até essa verdadeira muralha começa em Puerto Chacabuco. Dali, zarpa o catamarã Chaitén, com capacidade para 100 pessoas. São cinco horas em navegação tranquila por um fiorde. Sobra tempo para o almoço, um joguinho de cartas,  um bate-papo furado, uma soneca ou, melhor, a simples observação do cenário a partir do convés.

O acesso à Laguna se dá por um canal estreito e, logo à esquerda, surge imponente o glacial. Blocos de gelo e icebergs flutuam ao lado do Chaitén. Aos poucos, grupos de até oito pessoas embarcam nos botes de borracha movidos a motor de popa, os zodiacs. Este é ponto alto da viagem. Em minutos,  os velozes barquinhos zarpam rumo ao muro azulado.

O estrondo das gigantescas colunas de gelo se partindo e caindo sobre a água assustam, balançam os zodiacs, mas tornam a aproximação ainda mais emocionante. Os dedos quase congeladas pelo vento não impedem a saraivada de fotos, vídeos e, claro, selfies e mais selfies.

A nota triste fica por conta das muitas marcas cravadas nos paredões de pedra de ambos os lados da geleira, inequívocos sinais do brutal recuo do glacial provocado pelo aquecimento global. Uma retração constante e em alta velocidade que pode ser notada de um ano para outro.

Ao final do passeio de bote, novamente embarcados e secos no catamarã, os visitantes celebram a experiência. É tempo de esquentar o corpo e aquecer a alma com uma dose de uísque escocês 12 anos com uma pedra de gelo milenar, dançar, cantar e brincar com uma felicidade genuína. Legitimamente patagônica.

Para curtir

Além da geleira do Parque Nacional Laguna San Rafael, também vale explorar a região e conhecer as Capillas de Marmol, um passeio de praticamente um dia a partir de Puerto Chacabuco até a região de Puerto Río Tranquilo.

São seis horas de estrada (três delas sem asfalto) até chegar, mas vale a pena. A bordo de pequenos barcos, visita-se essas curiosas formações de mármore maciço esculpidas pelo vento e pela água (as tais “capillas“).

Também é imperdoável deixar a Patagônia norte sem um legítimo almoço no “quincho”, onde cordeiros inteiros são lentamente assados no fogo de chão. Bom apetite!

[metrogallerymaker id=»1013″]

Barco se aproxima do paredão de gelo | Luiz Rivoiro/Metro Jornal

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos