logo
Estilo de Vida
Estilo de Vida 30/04/2015

Ocupações técnicas são menos afetadas por crise econômica

Não falta trabalho, segundo o técnico Cristopher Soares | André Porto/Metro

Não falta trabalho, segundo o técnico Cristopher Soares | André Porto/Metro

Apesar do baixo crescimento econômico e do desaquecimento do mercado, há setores em que o fantasma do desemprego não tem causado tanto espanto. Segundo um levantamento recente do Senai,  os profissionais que atuam nas áreas de manutenção de operação industrial e de serviços foram menos impactados pelas demissões no setor. A pesquisa usou dados de 2014 do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Menos afetadas pela crise, três ocupações técnicas seguiram contratando no ano passado: instalador e reparador de linhas e equipamentos de telecomunicações, técnico de manutenção de máquinas e mecânico de manutenção de aparelhos de refrigeração.

No ano passado, a indústria registrou uma redução de 330 mil postos. Enquanto isso, no mesmo período, quase 7 mil novas vagas foram abertas nesses cargos. “Algumas características resguardam essas áreas. A principal delas é a transversalidade, estão presentes em vários segmentos industriais”, afirma Márcio Guerra, gerente de Estudos e Prospectivas da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De olho no mercado

“Não falta trabalho nem no inverno”, garante o técnico de manutenção de aparelhos de ar-condicionado, Cristopher Ferreira de Souza, 23.  Os primeiros passos na profissão foi aos 13 anos, na empresa do pai, hoje uma franquia da “Doctor Frio”, de instalação e manutenção de equipamentos de pequeno e grande porte.

De olho no crescimento do mercado, Souza fez um curso técnico de manutenção de aparelhos de refrigeração, no Senai. “Me permitiu conhecer melhor os equipamentos e me especializar”.

Hoje, formado, ele dá treinamento aos funcionários. “A empresa tem três técnicos, que trabalham com uma equipe composta de três auxiliares cada. No verão, equipes saem com cinco ou mais ordens de serviço por dia, no frio, volume reduz bem pouco, para três em media”, conta.

Cenário

Para quem se prepara para entrar no mercado, a análise do Senai traz informações importantes, aponta Rafael Lucchesi, diretor-geral do Senai. “O jovem que compreende como o movimento da economia impacta o mercado de trabalho, terá melhor condições de escolher uma qualificação  ou curso que abra portas para seu futuro.”

20150427_PLUS_sem-crise-v2

CLIQUE PARA AMPLIAR