O adeus precoce do Palmeiras ao sonhado título do Mundial de Clubes da Fifa

Tropeço contra os mexicanos do Tigres eliminou o clube paulista por 1 a 0 na semifinal. Pênalti definiu a partida, com francês Gignac se destacando

Por Vanessa Selicani - Metro

Tinha o Tigres no meio do caminho do Mundial de Clubes da Fifa e o Palmeiras viu o sonho de vencer a competição adiado mais uma vez. A equipe brasileira foi derrotada por 1 a 0 com a apresentação certeira dos mexicanos, liderados pelo experiente jogador francês Andre-Pierre Gignac. Foi dos pés dele, em cobrança de pênalti, que o Tigres marcou o gol decisivo que o levaria a fazer história como primeiro time da Concacaf a chegar a uma final de Copa do Mundo de Clubes.

O placar poderia ser ainda maior para os mexicanos, não fosse a boa atuação do goleiro Weverton, com ao menos duas defesas de tirar o fôlego na partida disputada ontem no Estádio Education City, no Qatar.

O técnico Abel Ferreira reconheceu que sua equipe não jogou bem e destacou a qualidade do Tigres. “Muita gente não conhece nossos adversários. Falei antes que é um adversário com muita qualidade individual e coletiva. Fez isso contra nós e contra todos.”

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Depois de um primeiro tempo bastante disputado, a segunda etapa teve início com o gol do Tigres logo aos sete minutos. O zagueiro Luan agarrou Gignac em falta clara. Weverton até acertou o lado e por pouco não chega na bola, mas o atacante francês mostrou ter experiência para marcar com força a penalidade.

Abel mexeu, colocando o que tinha de melhor ainda no banco: Felipe Melo, Patrick de Paula, Willian Bigode, Scarpa e Mayke. Mas o ataque do Palmeiras não foi páreo para a linha de impedimento dos mexicanos. Foram sete ao todo do Verdão.

“Nós não vamos ganhar sempre, mas vamos lutar sempre até o fim. Foi o que fizemos aqui. Infelizmente a bola não quis entrar, e o jogo foi definido pelo detalhe de um pênalti”, disse o treinador.

Piadas

A eliminação precoce na semifinal de uma equipe considerada favorita já foi enfrentada também pelos brasileiros do Internacional e Atlético-MG, que caíram diante de africanos em 2010 e 2013, respectivamente. Esta foi a segunda oportunidade do Palmeiras no Mundial de Clubes. Em 1999, o time perdeu a final por 1 a 0 contra o Manchester United.

Quem não perdoou mais um deslize do Verdão na competição foram os adversários. O apito final sacramentando a derrota contou com fogos de artifício e gritos de “Palmeiras não tem Mundial” na capital paulista.

“Sem Mundial” era um dos temas mais comentados ontem no Twitter. O Palmeiras afirma ser campeão do mundial de 1951. Mas a Fifa celebra o histórico de sua atual competição apenas a partir de 2000. A polêmica sobre o Verdão ter ou não um Mundial de Clubes poderia se encerrar com uma sonhada vitória sobre o Bayern de Munique na final marcada para a próxima quinta-feira. Vai ficar para a próxima.

Os alemães são favoritíssimos hoje, na outra partida da semifinal, contra o Al Ahly, do Egito, às 15h (horário de Brasília), no Al Rayyan Stadium.

Loading...
Revisa el siguiente artículo