logo
/ Keystone/Getty Images / Keystone/Getty Images
Esporte 23/10/2020

Pelé eterno: Há 80 anos, nascia o maior jogador da história do futebol

Esta sexta, 23 de outubro, não é feriado, mas deveria. Nascia em 1940, há exatos 80 anos, lá na cidade mineira de Três Corações, o maior jogador da história do esporte mais praticado do planeta. Edson Arantes do Nascimento levou seu apelido de Pelé para os quatro cantos do mundo. Na bagagem, a imagem do Brasil.

Em suas oito estações, Pelé viveu de tudo. Três títulos mundiais (1958, 1962 e 1970), mais de mil gols na contagem e muitas aventuras e polêmicas também fora das quatro linhas. Ele cantou, compôs, atuou, escreveu…

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

O menino pobre saiu de Minas e foi para Bauru, no interior paulista, por conta de uma oportunidade de emprego de seu pai. De lá, o Santos lhe deu a chance e foi o palco para que o homem que mistificou a camisa 10 fizesse seu show. O número 10 que depois dele passou a ter um outro valor. Tudo com uma plateia que extrapolava fronteiras. Isso em um mundo sem internet. A TV a cores ainda dava seus primeiros passos. Mesmo assim, sua presença com o Peixe em 1969 conseguiu parar uma guerra que já durava dois anos na Nigéria.

O rei em 2017, em Barcelona

Pelé pendurou as chuteiras em 1977, já no New York Cosmos. E, mesmo quarenta anos depois, o legado daquele que é considerado o maior de todos segue intacto. Se transformou a matemática com o seu 10, também o fez no português. Seu apelido, substantivo, se tornou um adjetivo de excelência. Ser o “Pelé” de alguma coisa é ser o melhor naquilo.

“As pessoas tentam encontrar um novo Pelé. Como na música, em que só existe um Frank Sinatra e um Beethoven, ou nas artes, com um único Michelangelo, no futebol só há um Pelé”, declarou em certa ocasião. O decreto do Rei até hoje está em vigor.

VIDA LONGA AO REI

Desde a década de 1970, Pelé vive com apenas um rim, já que teve que remover o órgão do lado direito.  Mas, nos últimos anos, o estado de saúde do Rei desperta preocupação. Desde 2012, quando teve que colocar uma prótese no quadril, ele se locomove com dificuldades. Em 2016, alegando erro médico na tal cirurgia, fez outra. Em 2017, para o sorteio da Copa do ano seguinte, ele apareceu de cadeira de rodas. Pelé disse que tem dias “bons e maus, como qualquer pessoa da sua idade”.

ERA MELHOR TER IDO VER O FILME DO PELÉ

Se você, como a galera do Chaves, também está com vontade de ver um filminho do Rei, saiba que existem algumas obras sobre o maior jogador de todos os tempos. Além de ser a figura central dos documentários “O Rei Pelé” (1963), “Isto é Pelé” (1974), “Pelé Eterno” (2004) e “Pelé – O Nascimento de Uma Lenda” (2017), ele também já tentou a sorte como ator em outras produções. “Fuga Para a Vitória” (1981), que tem Silvester Stallone, “O Trombadinha” (1980), de Anselmo Duarte, e “Os Trapalhões e o Rei do Futebol” (1986) são algumas das películas com Pelé, que certa vez declarou que “sonha até em ganhar um Oscar”.

PASSADO, PRESENTE E FUTURO

Está em cartaz no Museu do Futebol a exposição “Pelé 80 – o Rei do Futebol”, com curadoria do cenógrafo Gringo Cardia. A mostra tem caráter lúdico: logo na entrada, uma enorme escultura de Pelé ao estilo de mini-craque leva até o espaço para a sessão de um filme especialmente para a exposição. O vídeo conta toda sua trajetória dentro de campo. A visita segue com instalações, games variados e, claro, uma montanha de exibições de gols e momentos inesquecíveis. O museu fica no estádio do Pacaembu, em São Paulo, e a mostra fica disponível ao público até dia 15 de abril de 2021. A entrada custa R$ 20 e a visita funciona apenas com hora marcada.

ARTILHEIRO, ENTENDE?

A lista de maiores goleadores é muito questionada porque varia de critério para critério. A Fifa, por exemplo, não considera que nenhum jogador conseguiu atingir 1.000 gols, já que contabiliza apenas jogos oficiais. Para alguns atletas, também há escassez de fontes. Como acontece com Josef Bican, atacante de origem tcheca e que também atuou pela seleção austríaca entre 1930 e 1950. Segundo o RSSSF (Rec.Sport.Soccer Statistics Foundation), um dos principais institutos de pesquisa estatística da modalidade, esse carinha marcou 1.468 gols, contra 1.284 de Pelé. A lenda na Europa lá de 1960, porém, é que Bican teria feito mais de 5.000 gols. Tá…Mas o Rei foi para o Guiness Book, o livro dos recordes, como o maior artilheiro e é essa a história que contaremos aos nossos filhos, entende?

pelé jogos

LÍNGUA AFIADA

“Muita gente não sabe, mas não joguei em 1974 por desgosto em relação ao regime político do país. Era a época da ditadura”

“Um pênalti é uma forma covarde de fazer um gol”

“Antes de falar do Pelé, Maradona precisa pedir autorização ao Zico, Sócrates, Romário, Tostão e Rivelino”

“Se eu pudesse, me chamaria Edson Arantes do Nascimento Bola. Seria a única maneira de agradecer o que ela fez por mim”

“Espero que, quando chegar no céu, Deus me receba como me recebem aqui”