Mundial da Fifa: Al-Saad e Monterrey duelam para enfrentar o Liverpool,

Por Fernando Valeika de Barros, especial para o Metro World News

No duelo entre o Monterrey, do México, e o Al-Saad, do Qatar, neste sábado, às 14h, os donos da casa são azarões e correm por fora, até na opinião sincera de seu técnico, o espanhol e multicampeão Xavi Hernández. “Com a camisa do Barcelona e da Seleção Espanhola fui favorito muitas vezes, mas, neste sábado  quem terá esta condição será o Monterrey”, disse o espanhol ao METRO. “Mas, quem pensar que entraremos em campo derrotados, verá uma equipe com atitude: representamos o Qatar, em nossa casa e queremos mostrar nossa melhor imagem”, promete ele. “Agora, que passou a pressão do nosso primeiro jogo, espero que nosso time renda mais em campo, mesmo que contra um rival tão perigoso”.

O próprio Xavi admite que o fato de ter jogado a prorrogação para vencer um time semiamador, como o Hienghène, da Nova Caledônia, não estava nos planos – e o esforço pode custar caso. “Não há partidas perdidas ou ganhas na véspera, e vamos com tudo: para nós, será uma final”, disse. Conhecido pelo apelido de “O Chefe”, o atual campeão do Qatar tem seu elenco formado por jogadores nascidos no país, com exceção dos meio-campistas coreanos Jung Won-young e Nam Tae-hee, que atuam ao lado do veterano espanhol Gabi, e do atacante argelino Baghdad Bournedjah.

Do lado do Monterrey, campeão da América do Norte e Central, sobra entusiasmo. Nas mãos do argentino Antonio Mohamed, a equipe cresceu. Reagiu na Liga Mexicana e, segundo o técnico, está motivada e bem fisicamente. “O Monterrey vive uma boa fase e veio ao Qatar em busca do máximo”, disse ele ao METRO. “Mas, temos que respeitar nosso adversário: jogam em casa, no seu campo, contam com um treinador que sabe muito e impôs ao time um estilo que lembra, mesmo, o do Barcelona, com bom toque de bola”. Sua maior esperança de gols são o argentino Rogelio Funes Mori e o colombiano Dorlan Pabón, atacantes rápidos e perigosos, com a bola nos pés.

Monterrey 

No caminho do Monterrey até Doha, entra: 8 jogos, 5 vitórias, 2 empates, 1 derrota.; 16 gols a favor, 4 contra. 8a de Final: 0x0, 1×0, Alianza (El Salvador); 4a de Final: 3×0,1×0 Atlanta United (EUA); Semifinal: 5×0, 2×5 Sporting KC (EUA); Final: 1×0,1×1 Tigres (México).
Formação (em 4-2-3-1) (1) Barovero; (21) Layún; (33) Medina , (4) Sánchez (11) e Vangioni; (29) Rodríguez e (16) Ortiz;  (8) Pabón, (20) Pizarro e (17) Gallardo; (7) Rogélio Funes Mori
Al-Saad 

O caminho do Al-Saad até Doha: Campeão do Qatar; 22 jogos, 18 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 100 gols a favor, 22 contra e 3×1 Hienghène Sport (Nova Caledônia), na fase eliminatória da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, 2019

Formação (em 4-2-3-1) (1) Al-Sheeb; (2) Pedro Miguel, (16) Khoukhi, (5) Jung e (15) Salman; (14) Gabi e (20) Al Hajri; (10) Al-Haydos, (19) Nam e (23) Ali Abdull e (78) Afif

Loading...
Revisa el siguiente artículo