Esporte

Tite fica perto de superar Osvaldo Brandão no Corinthians

Tite é levantado pelos jogadores após a conquista do título | Ueslei Marcelino/Reuters
Tite é levantado pelos jogadores após a conquista do título | Ueslei Marcelino/Reuters

O Campeonato Brasileiro de 2015 foi o sexto título do técnico Tite no comando do Corinthians. Soma-se a esse, outro Brasileiro, de 2011, a Libertadores e o Mundial, de 2012, a Recopa Sul-Americana e o Paulistão, ambos em 2013. Não há dúvidas de que o nome de Adenor Leonardo Bachi está na história. Suas conquistas figuram entre as mais importantes dos 105 anos do clube do Parque São Jorge. Se falta alguma coisa alguma coisa para que o gaúcho de Caxias do Sul possa ser oficialmente considerado o maior treinador da história alvinegra é superar Osvaldo Brandão em números de jogos.

Brandão também era um gaúcho, de Taquara, que marcou história no Corinthians ao comandar a equipe em duas conquistas históricas, o Paulista de 1954, a chamada Taça do 4º Centenário da Cidade de São Paulo, e o de 1977, que encerrou um jejum de 22 anos do time sem títulos. Brandão foi quem começou e encerrou o período mais tenebroso na história do Timão, e por isso é reverenciado até hoje pela torcida, principalmente entre os mais velhos.

Leia também
Tite confirma Ralf como capitão do Corinthians para levantar a taça
Confira os títulos do Corinthians ao longo da história do futebol brasileiro
Baixe o pôster do Corinthians hexacampeão brasileiro

Osvaldo Brandão comandou o Corinthians em 439 partidas. Com o jogo desta quinta-feira contra o Vasco, Tite chegou a 340. Os dois gaúchos são os que mais treinaram o Timão na história. Para Tite alcançar Brandão, seria necessário pelo menos mais um ano e meio, marca que ele pode chegar caso não deixe o Corinthians. O maior temor da torcida alvinegra é que ele saia para comandar a seleção brasileira.

Leia também
Corinthians empata com o Vasco no Rio e conquista o seu sexto Campeonato Brasileiro

O Portal da Band conversou com quatro corintianos para saber o que eles acham dessa “polêmica”. Três deles apontam uma igualdade sobre quem seria o maior treinador da história do clube, mas com pequena vantagem para Brandão. Todos disseram que Tite precisaria pelo menos igualar o número do conterrâneo em jogos pelo Corinthians. Apenas um coloca Tite já acima do treinador de 1977.

“Está entre o Tite e o Oswaldo Brandão. O Tite é atual, então as conquistas deles são muito valorizadas por aquilo que o Corinthians sempre buscou, mas a gente não pode esquecer que o valor do Brandão é a mesma, mas com gerações diferentes. Então eu coloco os dois no mesmo patamar.

São os dois maiores treinadores que eu vi no Corinthians. Brandão tinha uma comissão que era muito participativa. Só a preleção dele que era meio cansativa, mas era pra ele colocar pra cada jogador o que ele queria. Ele falava muito e eu vejo que o Tite também faz isso. Hoje as preleções são mais rápidas, a do Brandão demorava quase uma hora (risos).

Acho que o Tite vai superar o Brandão, ai sim, se ele fizer os mesmo números de jogos. O Tite caminha para isso, para superar o que o Brandão deixou registrado na história. Hoje estão no mesmo nível.”

Para o Tite falta passar o Brandão no número de jogos, e os títulos do Brandão foram muito emblemáticos, vai ser difícil ultrapassar. Lógico que a proporção dos títulos do Tite em nível mundial é maior, mas na época os do Brandão foram gigantescos. O título do 4º centenário era para valer por 100 anos, o de 77 foi a maior festa do futebol mundial. Historicamente esses títulos são maiores.

O Brandão é um mito mesmo. É a mesma coisa que você querer comparar o Neco, que deu o primeiro título do Corinthians com o Emerson Sheik, não tem comparação. O Sheik nunca vai ser o Neco, falo isso por figuras míticas e Oswaldo Brandão é uma figura mítica, igual Neco, Teleco, Claudio, Luizinho e Baltazar. São incomparáveis. O Guerrero foi campeão mundial, mas não dá pra comparar com o Baltazar. Lógico que as novas gerações vão achar que esses de hoje são maiores, porque não viveram, mas estou comparando a repercussão do feito, até porque o Campeonato Paulista era a maior competição do Brasil na época.

O time dos anos 1950 foi o maior da história do Corinthians. Se existisse Libertadores, Mundial, o Corinthians tinha ganho. Quando acabar a passagem do Tite ele vai ter sua mística também, mas se ele superar no número de jogos, ele pode passar o Brandão.”

“O Tite ganhou os títulos mais importantes, mas acho que ele ainda divide essa com o Oswaldo Brandão. Primeiro porque não tem tantos técnicos. A história dos técnicos do Corinthians é uma história de caras que não ficam no cargo. O Brandão é a exceção, campeão em 54, voltou para ser campeão em 77 e mesmo antes já tinha voltado e não dado certo, então não tem tantos nomes pra gente comparar.

Brandão é o que mais dirigiu e o que ficou mais tempo seguido no cargo, de 54 até o primeiro jogo de 58, então a concorrência não envolve tanta gente, fica entre os dois mesmo. Essa coisa de estabilidade no cargo aconteceu com o Mano e com o Tite só.

O Brandão tem aquilo que o Tite também tem de ser protagonista dos títulos. Eles são lembrados como se fossem jogadores, no caso do Tite até mais.

Eu definiria assim: os títulos mais importantes foram sem dúvidas do Tite, mas o Brandão tem a favor de si dois títulos históricos, o do 4º Centenário da cidade de São Paulo e o que ele é o Messias que volta depois de 22 anos para conquistar outro titulo.

A gente não pode levar a coisa só pro lado do “paulistinha” que é um conceito muito de hoje, muito anacrônico, na época nosso mundo era esse, então foi como se conquistasse o mundo.

Acho que é parelho, o Tite pela importância e o Brandão pela mística dos títulos. O primeiro passo para o Tite é ele igualar o tempo de permanência seguido e depois um outro título para consagrar, como um bi da Libertadores, mas ele está no caminho para ser o maior da história”.

“Pra falar a verdade o Tite não é só o melhor técnico da história do Corinthians, como vem se tornando um dos melhores da história do futebol brasileiro. Está entre os cinco. Não só pelos títulos que são muitos, como pela forma inteligente que ele trabalha os jogadores. O Tite tem inteligência tática, sabe dar um treino e de quebra consegue passar uma força emocional surpreendente. Essa mistura talvez seja a fórmula do seu sucesso.

Tenho o maior respeito pelo Brandão. Foi monstro em sua época. Tem uns 100 jogos a mais que o Tite no Timão. Ainda assim prefiro o Tite. É mais vencedor e lida hoje com uma pressão bem maior. E tem outra, logo mais ele passa o Brandão e se torna o técnico que mais dirigiu o Corinthians.”

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos