logo
Esporte
Esporte 16/04/2015

Após vitória sofrida do São Paulo, Ceni se recusa a torcer pelo Corinthians

| Rubens Chiri/saopaulofc.net

Ceni comentou a partida do Corinthians desta quinta| Rubens Chiri/saopaulofc.net

Foi no sufoco, mas o São Paulo conseguiu o que foi buscar no Uruguai, uma vitória contra o Danubio, pela Libertadores. Com nove pontos no Grupo 2, o Tricolor teria sua vida facilitada na busca por uma vaga na próxima fase da competição se o rival Corinthians vencer nesta quinta-feira o San Lorenzo. Mas o capitão tricolor se recusa a isso.

“Jamais vou torcer para o Corinthians”, disse ele na saída de campo. O San Lorenzo é o terceiro colocado do grupo com seis pontos, enquanto o rival o é o líder com 12. Como a última rodada coloca frente a frente São Paulo e Corinthians e San Lorenzo e Danubio, o Tricolor jogaria apenas por um empate em caso de vitória do rival.

Rogério também saiu de campo muito irritado com os gandulas, que segundo ele ficaram segurando muito as bolas enquanto o resultado era interessante para os donos da casa. Para ele, em uma competição como a Libertadores não podem acontecer coisas assim.

“Não podemos jogar uma competição grande como a Libertadores sem bola, com gandula com pedaço de pau na mão, laser no olho o tempo todo. Ai quando o time passa na frente, começam a aparecer três, quatro bolas. Tem que haver o mínimo de condições”, esbravejou ele, que foi falar com um gandula ao final do jogo.

Não jogamos bem, mas a vitória valeu, diz Milton Cruz

Um gol no fim de Centurión garantiu a vitória do São Paulo sobre o Danubio por 2 a 1, no Uruguai, pela Libertadores, e manteve o técnico Milton Cruz com 100% de aproveitamento em três partidas desde a saída de Muricy Ramalho. O novo comandante são-paulino reconheceu que a equipe não jogou bem, mas destacou a disposição dos jogadores.

“Tem que valorizar nossa vitória. Não jogamos bem, todo mundo sabe, mas a vitória é o que valeu. É uma partida que a gente tem que levar para frente, com esse espírito de Libertadores, não tem jogo fácil. O grupo está de parabéns, se dedicaram ao máximo”, afirmou Milton.

Para o antigo auxiliar técnico, as condições da partida prejudicaram o Tricolor.

“É um jogo atípico. Campo ruim, pequeno, ventando. Não é o jogo que o São Paulo está acostumado a fazer. O São Paulo não é esse time que vocês viram hoje”, disse o técnico, que continuou. “Esse estádio aqui é apertadinho, difícil de ser jogar. Se não dá para ganhar na técnica, vai ganhar na raça. Foi esse o papo no vestiário”.

Para Milton, agora o foco é a recuperação dos atletas para o clássico de domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro, pela semifinal do Paulista.

“É difícil jogar uma partida da Libertadores como essa, disputada, truncada, e ter um clássico no fim de semana. Os jogadores se desgastam. Precisamos recuperar bem os jogadores porque domingo temos outra pedreira, o Santos, na Vila”, analisou.