logo
Esporte
Esporte 15/04/2015

São Paulo busca vitória contra o Danubio para seguir vivo na Libertadores

Ceni está confirmado para o confronto | Maurício Rummens /Fotoarena/Folhapress

Ceni está confirmado para o confronto | Maurício Rummens /Fotoarena/Folhapress

A delegação do São Paulo já está no Uruguai, onde nesta quarta-feira a equipe tem um duelo decisivo contra o Danubio, às 22h, no acanhado estádio Luis Franzini, pela quinta rodada da fase de grupos da Taça Libertadores. Com seis pontos, o Tricolor está empatado com o San Lorenzo, da Argentina, e tem metade dos pontos do Corinthians, que lidera o Grupo 2. Uma vitória é tratada como obrigação pelos são-paulinos.

“Aqui começa ou termina uma Libertadores para nós, um dos dois, não tem muita alternativa. Temos de ir atrás da vitória para na última rodada ter possibilidade e força para avançar”, disse o goleiro e capitão Rogério Ceni.

Apesar da “obrigatoriedade” de vitória, Ceni não acredita em facilidade mesmo com a quase eliminação consumada do Danubio. O time uruguaio está zerado na competição. Ainda assim, poderia passar de fase se com uma combinação improvável de resultados.

“É tão perigoso como se estivesse lutando por uma vaga. A tradição uruguaia é de lutar até o fim. Sabemos o espírito que esses caras têm. Eles levam muito a sério qualquer partida. Estão em casa e não vão querer perder. Será apertado”, disse o capitão tricolor.

E aí, professor?

Enquanto o time briga por uma vaga nas oitavas de final da Libertadores, a diretoria segue em negociações com o técnico Alejandro Sabella. E o Tricolor já definiu: vai esperar o argentino até sexta-feira. “Se ele aceitar, vamos discutir tudo. O combinado é de que ele daria resposta até sexta-feira, mas pode ser até que saia antes”, disse o presidente são-paulino Carlos Miguel Aidar.

Toma lá, dá cá

A semifinal do Paulistão entre Santos e São Paulo, domingo, na Vila Belmiro, gerou provocações entre os presidentes dos clubes. Depois de Aidar convidar os são-paulinos a irem ao estádio para comer uma “peixada”, o mandatário santista Modesto Roma Júnior respondeu: “Não tenho que rebater a brincadeira do Aidar. A gente brinca, mas defendemos sempre a vida selvagem.”

Captura de Tela 2015-04-14 às 19.16.42