logo
Esporte
Esporte 14/04/2015

Atlético e Real Madrid reeditam final na Liga dos Campeões

Carlo Ancelotti e Marcelo durante entrevista coletiva | Susana Vera/Reuters

Real Madrid durante treino | Susana Vera/Reuters

O Atlético de Madri recebe nesta terça-feira o vizinho Real Madrid na partida de ida das quartas de final da Liga dos Campeões. O jogo marca a reedição da final do ano passado, vencida de forma dramática na prorrogação pelos ‘Merengues’.

O time ‘colchonero’, porém, não é o único a encarar o dérbi com sede de vingança. No último confronto entre as duas equipes, o Atlético goleou o Real por 4 a 0, no dia 7 de fevereiro, no estádio Vicente Calderón, uma surra que deixou feridas abertas na ‘Casa Branca’.

Desde que amargou o vice-campeonato europeu na fatídica final de Lisboa, o ‘Atleti’ não perdeu mais para o rival, somando 4 vitórias e dois empates em seis partidas, além de levar a melhor em dois confrontos de ida volta, na Supercopa da Espanha, em agosto, e nas oitavas de final da Copa do Rei, em janeiro.

Na cabeça dos ‘colchoneros’, apenas um triunfo no cenário europeu pode apagar a desilusão do dia 24 de maio do ano passado.

No estádio da Luz, os comandados de Diego Simeone chegaram a vencer por 1 a 0 e estavam com a ‘Taça orelhuda’ em mãos a poucos segundos do fim, mas Sergio Ramos empatou de cabeça nos acréscimos e o Real renasceu das cinzas para vencer por 4 a 1 na prorrogação.

“Já estamos novamente nas quartas da Champions, depois de tudo que aconteceu naquela maldita final do ano passado. Por isso estamos muito motivados para chegar à semi. Por ser contra este rival, o confronto ganhou ainda mais importância para a nossa torcida”, avisou o capitão Gabi.

Intensidade

Do lado do Real, o discurso é bem diferente. O técnico Carlo Ancelotti fez questão de salientar que não tem como “obsessão” vingar o 4 a 0 de fevereiro.

“Tudo que queremos é passar pelas quartas. Nosso sonho não é ganhar do Atlético, sonhamos com a ‘Undecima’ (11º título europeu). Vamos jogar para vencer, mas sem obsessão, porque dois empates podem ser suficientes para avançar”, avisou.

A única certeza é que, mesmo sem a promessa de gols e espetáculo, o clássico madrilenho será extremamente disputado. “Eles sempre colocam muita intensidade nas divididas”, lembrou o zagueiro francês Raphael Varane, do Real.

O que pode fazer a diferença para os ‘Merengues’ é a volta de lesão de jogadores importantes, como o croata Luka Modric ou o colombiano James Rodríguez, que fizeram muita falta no início do ano.

 

O campeão europeu vem de três vitórias seguidas no Campeonato Espanhol e reduziu a diferença para o líder Barcelona para apenas dois pontos, ao atropelar o Eibar por 3 a 0, aproveitando o tropeço dos catalães diante do Sevilla (2 a 2).

Outra boa notícia para os ‘Merengues’ é a boa fase atual de Cristiano Ronaldo. Muito criticado por ter organizado uma festa pelo aniversário de 30 anos na noite da goleada sofrida diante do Atlético, o astro luso reencontrou seu brilho.

Depois de ver seu rendimento cair drasticamente nos últimos meses, CR7 já balançou as redes sete vezes em três partidas disputadas no mês de abril, alcançando na semana passada a marca de 300 gols com a camisa do Real.

“Vamos enfrentar um adversário que está num ótimo momento, que é vice-líder do Campeonato Espanhol e sempre é muito forte na Champions”, avisou Simeone.

‘El Cholo’ aposta no retorno do croata Mario Mandzukic, recuperado de uma lesão no tornozelo, e no talento do francês Antoine Griezmann, que já marcou 18 gols nesta temporada na Liga Espanhol, quatro deles nos últimos três jogos.

Outro jogo

Além do clássico espanhol, no mesmo horário, a Juventus recebe o Monaco na Itália.

Amanhã, é a vez das últimas duas partidas. Paris Saint-Germain e Barcelona se enfrentam na França às 15h45 (de Brasília). A Band transmite o jogo ao vivo.

Porto e Bayern de Munique jogam em Portugal na mesma hora. Os duelos de volta acontecem nos dias 21 e 22 deste mês.