logo
Esporte
Esporte 09/04/2015

‘Se chegar um técnico seguirei meu trabalho’, diz Milton Cruz

Milton Cruz comandou o São Paulo contra a Portuguesa | Rubens Chiri/São Paulo

Milton Cruz comandou o São Paulo contra a Portuguesa | Rubens Chiri/São Paulo

Com a saída de Muricy Ramalho, foi Milton Cruz quem comandou o São Paulo na vitória por 3 a 0 sobre a Portuguesa, no Morumbi, pela última rodada do Campeonato Paulista. Antes da partida, o presidente Carlos Miguel Aidar afirmou que torce para que o auxiliar se saia bem e tenha condições de ser efetivado. Milton comentou as declarações do mandatário tricolor.

“Ele me disse que estava na torcida pelas vitórias para me efetivar no cargo. Estou à disposição do clube. Se quiserem que eu permaneça, pode ser. Ou se não, vou acatar o que eles falarem. Tenho 21 anos de clube e nunca me senti ameaçado. Faço meu melhor no dia a dia. Tenho prazer de trabalhar no São Paulo. Fui criado e morei aqui. Dei retorno como atleta na venda, e como funcionário revelei vários times. Tenho meu valor. Acho que não será agora que deixarei de ser reconhecido. Dei tanto retorno, que não passa nem pela cabeça sair daqui”, afirmou Milton Cruz.

No entanto, Abel Braga, Vanderlei Luxemburgo e Alejandro Sabella são os favoritos na disputa pelo cargo. Milton Cruz não vê problema caso um deles seja contratado.

“Se chegar outro técnico, vou continuar fazendo meu trabalho. Hoje sou referencia na profissão. Outros clubes falam que tinha de ter um cara como eu, Corinthians, outros, e já tive convites para Seleção, outros clubes. Para trabalhar com Autuori, Carpegiani, lá fora, mas sou feliz no São Paulo”, afirmou.

Sobre a vitória sobre a Portuguesa, Milton Cruz a dedicou ao amigo Muricy Ramalho.

“A vitória é para o Muricy. Eu me espelho muito nele, a gente pensava junto, as mesmas decisões, mas o Muricy para mim é grande amigo. Desde que jogávamos, sempre foi muito ligado, e me espelho, procurei sempre estar do lado dele, ver as coisas que ele fazia. Treinador que teve êxito, campeão onde passou, futebol não é fácil. Eu fico triste, pelo parceiro, estou no São Paulo por ele, ele que me trouxe. Sou fã dele, como irmão”, revelou.