Esporte

Presidente da Portuguesa questiona denúncia do STJD

Ilídio Lico, presidente do clube, foi citado na denúncia do STJD | Wagner Meier/ AGIF/ Folhapress
Ilídio Lico, presidente do clube, foi citado na denúncia do STJD | Wagner Meier/ AGIF/ Folhapress

O presidente da Portuguesa Ilídio Lico respondeu a denúncia que a procuradoria do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) protocolou nesta sexta-feira, contra a Portuguesa.

A denúncia aconteceu após o abandono de campo na partida de estreia da equipe na Série B do Campeonato Brasileiro, na última sexta-feira, diante do Joinville. Devido a isso, o clube paulista corre o risco de ser rebaixada para a Série C.

“Estou tranquilo quanto a isso. Eu respeito a justiça brasileira e não a desportiva”, disse em entrevista ao Portal da Band.

Leia também
• Denunciada no STJD, Portuguesa pode parar na Série C

Ilídio Lico justificou a saída do gramado e alfinetou a CBF. “Nós mandamos um comunicado para a CBF adiar o jogo, mas não tomaram atitude nenhuma. Agora vamos aguardar para ver o que acontece”.

O mandatário da Lusa explicou, no entanto, que a Portuguesa deve entrar em campo nas próximas partidas. “Se não tiver nenhuma liminar, temos que entrar em campo”, justificou. “No Canindé as coisas são diferentes e não em cima da hora como aconteceram”.

Lico parece que se arrependeu de ter entrado na Justiça comum. “A gente pensa, conversa com outras pessoas. É mais certo fazer o que eu fiz. Se acha que está errado, volta atrás. Entrei na Justiça por pressão. O clube não é meu é de todos. A maioria achava que tínhamos que entrar. Usamos a democracia. O presidente não é dono do clube”, explicou.

Apesar dos transtornos causados pela Lusa, não passou pela cabeça do presidente renunciar ao cargo. “Imagine só. Sou um homem de enfrentar as coisas. Já passei por muitas dificuldades na vida. Não é isso que vai me balançar. Sou homem de bem”, destacou.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos