Entretenimento

Talitha Morete, do ‘É de Casa’, é acusada de racismo nas redes sociais

Apresentadora pediu desculpas pela atitude nesta terça-feira; entenda o que rolou

Atitude de Talitha Morete na TV motivou discussão sobre racismo

A apresentadora Talitha Morete, do “É De Casa”, da TV Globo, vem sendo acusada de racismo nas redes sociais. Isso porque no último sábado (11) ela pediu que uma convidada negra servisse cocadas para os demais participantes do programa.

Talitha contou que conheceu Silene - vendedora dos quitutes - quando estava fazendo as unhas em um salão de beleza. Decidiu, então, pedir que a mulher fosse ao matinal reproduzir a receita.

Quando as cocadas ficaram prontas, a apresentadora pegou a bandeja com os doces e a entregou para que Silene servisse todos que estavam no ambiente.

LEIA TAMBÉM: Após crítica à ‘Farofa’, Gkay responde Sonia Abrão; entenda a treta

“Silene, a dona da cocada, vai fazer as honras da casa. Pode oferecer, por favor, que tá todo mundo querendo a sua cocada, tá Silene?”, disse Talitha Morete.

A mulher, então, se levantou e ofereceu a sobremesa para a apresentadora, que a abraçou.

Intervenção de Manoel Soares

Único apresentador negro do programa, Manoel Soares prontamente ficou em pé, pegou a bandeja das mãos da convidada e disse que ele mesmo iria oferecer a cocada aos presentes. “Vamos fazer o seguinte? Eu vou ser o seu garçom e você vai me orientar para quem eu vou servir, porque você não vai servir ninguém.”

Nas redes sociais, telespectadores criticaram a atitude de Talitha e deram início a uma discussão sobre racismo estrutural. Muitos destacaram - e elogiaram - o comportamento de Manoel, que impediu que a situação ao vivo prosseguisse.

Confira algumas das menções ao caso no Twitter:

Desculpas públicas

Nesta terça-feira (14), Talitha Morete usou suas redes sociais para pedir desculpas pelo episódio.

“Antes de vir aqui, a primeira coisa que fez foi falar com a Dona Silene e pedir desculpas para ela. Eu também preciso me desculpar com todas as pessoas, com o meu público, pela minha fala. Errei e não há nada a ser dito para justificar ou minimizar esse erro, a não ser me desculpar. Desde sábado, eu tenho refletido sobre o ocorrido. Eu tenho refletido sobre o lugar que ocupei nesse contexto. Como ser humano, como comunicadora, quero transformar esse episódio em aprendizado e num compromisso de vigília antirracista constante. É isso que posso e devo fazer. Aproveito para agradecer ao meu colega Manoel Soares pela sensibilidade e o cuidado com a Dona Silene. É muito importante quando estamos num grupo diverso que comprova como o mundo pode ser melhor quando inclui a todos. Muito obrigada”, escreveu em um post no Instagram.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos