Entretenimento

Cantor Zé Felipe defende a escalação de Jade Picon em novela: ‘Deixa a menina’

Críticas negativas surgiram após boatos de que ex-BBB estará em trama de Glória Peres

A suposta escalação da ex-BBB Jade Picon no elenco de “Travessia”, a nova novela de Glória Perez, continua dando o que falar. Após ser alvo de críticas por parte de atrizes globais e pelo sindicato que representa os atores, a influencer recebeu o apoio do cantor Zé Felipe: “Deixa a menina fazer novela.”

Nos stories de seu Instagram, Zé Felipe falou sobre o caso: “Bom dia, bom dia, bom dia! Gente, deixa eu falar um negócio pra vocês, eu vi agora, porque quase não estou vendo fofoca mais, não estou mexendo em internet... mentira, estou vendo até mais”, iniciou o cantor, brincando.

“Mas que chatice esse trem com a Jade. Deixa a menina fazer a novela”, acrescentou. “Povo tá enchendo o saco da menina”, disse o cantor.

Após começarem os boatos sobre a escalação de Jade, a atriz Anna Rita Cerqueira havia criticado a escolha da ex-BBB para trama da TV Globo.

“Se aventurar no teatro... Na minha época, isso significava anos de estudo e panfletar para encher o teatro e receber, por fim de semana, às vezes o que não pagava nem a ida e volta para o teatro. Meus dez anos de curso de teatro se encontram de luto após essa notícia”, disse a atriz.

Nina Tomsic, intérprete de Ingrid em ‘Quanto Mais Vida, Melhor!’, também detonou a escalação da ex-BBB. “Duvido aguentar um dia. Nossa profissão é ‘pra’ gente qualificada. Não tem glamour, não é fácil e não é qualquer um que faz. Isso é no mínimo um desestímulo para tantas pessoas da profissão que batalham há anos por uma oportunidade nesse mercado de trabalho bizarro”, disse Nina em seus stories no Instagram.

Barrada pelo sindicato

Após repercussão sobre a escalação, o presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro (SATED-RJ), Hugo Gross, se posicionou contrário. De acordo com ele, a instituição tentará barrar a integração da influenciadora digital para a trama.

Hugo Gross falou que não se pode contratar uma pessoa sem o registro profissional, isso seria o mesmo que “contratar um advogado sem carteira da OAB”. “No caso do SATED, proteger o trabalhador da arte, o circense, o dublador, o técnico, o ator e a atriz”, declarou o presidente da instituição.

“A lei é muito clara. Sem registro, não trabalha. Isso não é uma perseguição do sindicato a nenhum influencer, a nenhuma pessoa, isso não é uma perseguição às empresas que tão dando trabalho, porque nós, da arte, precisamos de trabalho, nós precisamos realmente que fomentem o trabalho”, afirmou.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos