Entretenimento

Diretor da Globo é afastado do cargo após ser acusado de racismo

Ao receber a denúncia, a direção da emissora carioca decidiu que ele não estará na próxima produção

Vinicius Coimbra, diretor artístico de diversas novelas da Globo, foi afastado de seu cargo e não estará mais trabalhando com a pré-produção de “Mar do Sertão”, próxima produção da emissora carioca.  O afastamento temporário aconteceu após algumas atrizes denunciarem o profissional por racismo.

Segundo a denúncia, Coimbra estaria sendo acusado de segregação entre os atores da novela “Nos Tempos do Imperador”, que estava sendo exibida na faixa das 18 horas, na Globo.  De acordo com as atrizes,o diretor artístico teve falas preconceituosas e os camarins eram separados conforme o tom de pele dos artistas.

De acordo com a Folha de São Paulo, a denúncia foi feita pelas atrizes Cinnara Leal, Dani Ornellas e Roberta Rodrigues, que faziam parte do elenco de “Nos Tempos do Imperador”. Agora, o departamento de compliance da Globo está averiguando o caso e os diretores Ricardo Waddington e José Luiz Villamarim foram avisados sobre as queixas.

A Globo disse que não comenta casos sob investigação de seu setor de compliance. Além da emissora, o diretor artístico Vinicius Coimbra, não vai comentar o assunto.

LEIA TAMBÉM

Gravações de Mar do Sertão

De acordo com o Notícias da TV, Coimbra estava previsto para dirigir “Mar do Sertão”, novela que vai substituir “Além da Ilusão”, atualmente no ar. Ele foi substituído por Allan Fiterman. Prevista para estrear na faixa das 18 horas, após “Além da Ilusão”, a trama de Mário Teixeira terá o nordeste brasileiro como tema central e terá o ator Romulo Estrela como protagonista.

A história da novela acontece em uma cidade fictícia, localizada entre Bahia, Minas Gerais e Goiás. As cenas iniciais devem ser gravadas fora do Rio de Janeiro e a ideia é escalar um elenco em sua maioria regional.

Dividida em duas fases, sendo a primeira curta e a segunda após 10 anos do início do folhetim, o foco da novela será no acerto de contas entre Candoca e Zé Paulino, que será interrompido pela suposta morte do protagonista.

Antes da nova trama da nova Globo, Mário Teixeira foi responsável pelas novelas “I Love Paraisópolis” (2015), “O Tempo Não Para” (2018), e “Liberdade, Liberdade “(2016).

LEIA TAMBÉM

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos