Entretenimento

Após deixar Spotify, Neil Young é promovido por concorrentes da plataforma

Cantor retirou músicas do streaming após polêmica relacionada à covid-19

A briga entre o cantor Neil Young e o serviço de streaming Spotify ganha um adicional. Após deixar a plataforma, o artista passou a ser promovido pelos concorrentes da empresa, como Apple Music e Deezer.

Em sua conta no Twitter, a Apple Music publicou uma foto do cantor e deu uma cutucada discretamente em sua principal concorrente. “É sempre uma boa ideia dar play em Neil Young”, escreveu.

O Deezer divulgou sua playlist exclusiva com as músicas do artistas, “100% Neil Young”. Ela funciona de maneira similar à “This Is...”, do Spotify. “Temos uma playlist 100% Neil Young, junto com sua discografia no Deezer… caso você esteja se perguntando”, informou.

Além das propagandas, as redes sociais estão sendo tomadas por hashtags como #BoycottSpotify e #CancelSpotify, por fãs do cantor e apoiadores da ideia.

Entenda a polêmica

O caso começou na semana passada, quando o cantor solicitou a remoção de um episódio do podcast “The Joe Rogan Experience”, original do Spotify. O pedido veio acompanhado de um ultimato: ou o programa em si, ou as músicas dele.

O cantor acusava o programa de promover desinformação relacionada à covid-19, fazendo a associação com a responsabilidade do Spotify em manter ou remover esse tipo de conteúdo. A plataforma optou por retirar as canções de Neil Young e publicou uma nota, dizendo que já tinha excluído mais de 20 mil episódios de podcast desde o início da pandemia.

Dois outros artistas seguiram o mesmo caminho de Neil Young durante o fim de semana: Joni Mitchell e Nils Lofgren, colegas da estrela do rock.

Após o aumento da polêmica, o Spotify anunciou uma nova medida no domingo (30). Todos os podcasts que mencionarem a doença terá links para sites com informações cientificamente verificadas - recurso semelhante ao utilizado pelo Instagram.

LEIA TAMBÉM:

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos