Entretenimento

Estudante é condenado à morte na Coreia do Norte por levar ‘Round 6’ para o país

O jovem levou os episódios da série em um pendrive e foi pego pego pelos serviços de vigilância do país.

Um estudante norte-coreano foi condenado à morte por fuzilamento na Coreia do Norte. O motivo: ele contrabandeou ao país os episódios da série armazenados em um pendrive e vendeu para outros jovens, até que foi pego pelos serviços de vigilância do país.

De acordo com informações do Daily Mail, o jovem é um estudante que teria retornado da China com os episódios agora ele será executado por um pelotão de fuzilamento. Apesar de não se ter informação oficial, acredita-se que as prisões ocorreram na província de Hamgyong do Norte, que faz fronteira com a China na última semana.

A notícia foi relatada em primeira mão pela Rádio Free Asia, que contou a história de um outro estudante que comprou uma cópia e foi condenado à prisão perpétua, enquanto outros seis que assistiram ao programa foram condenados a cinco anos de trabalhos forçados.

A Coreia do Norte tem uma proibição estrita de material do Ocidente e da Coréia do Sul sendo permitido no país e as autoridades agora estão realizando buscas na escola dos alunos para encontrar mais mídia estrangeira. Há relatos de que alguns professores teriam sido demitidos ou poderiam ser banidos para trabalhar em minas remotas como punição.

‘Isso tudo começou na semana passada, quando um estudante do ensino médio secretamente comprou uma unidade flash USB contendo o drama sul-coreano ‘Round 6′ e assistiu com um de seus melhores amigos na classe’, disse uma fonte da lei à Rádio Free Asia. A fonte disse que a dupla discutiu a série com amigos que se interessaram e compraram cópias dele.

Leia mais

A prisão dos sete estudantes marca a primeira vez que o governo está aplicando a lei recém-aprovada sobre ‘Eliminação do Pensamento e Cultura Reacionários’, em um caso envolvendo menores, segundo a fonte. A lei acarreta pena máxima de morte para quem assistir, manter ou distribuir mídia de países capitalistas, especialmente da Coréia do Sul e dos Estados Unidos. As punições não param com o contrabandista e os alunos que assistiram ao vídeo, porém, outros sem ligação com o incidente também serão responsabilizados, segundo a fonte relatou à Rádio Free Asia e completou: “O Comitê Central demitiu o diretor da escola, o secretário da juventude e o professor da sala de aula. Eles também foram expulsos da festa. É certo que eles serão enviados para trabalhar em minas de carvão ou exilados para partes rurais do país, então outros professores estão todos preocupados que isso possa acontecer com eles se um de seus alunos também for pego na investigação”.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos